Política Presidente da República e as críticas do PSD: "É natural, estava à espera"

Presidente da República e as críticas do PSD: "É natural, estava à espera"

Marcelo Rebelo de Sousa diz que os partidos e as centrais sindicais "têm de perceber a posição do Presidente da República", que "deve tratar da mesma maneira quaisquer que sejam os primeiros-ministros".  
Presidente da República e as críticas do PSD: "É natural, estava à espera"
Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Carregueiro 13 de fevereiro de 2017 às 21:04

O Presidente da República desvalorizou as críticas formuladas por alguns responsáveis do PSD, classificando-as de naturais e expectáveis.

 

"Percebo os pontos de vista de cada um dos protagonistas" das críticas, mas estes têm de entender que "um Presidente da República é presidente de todos os portugueses". E "têm de perceber a posição do Presidente da República", que "deve tratar da mesma maneira quaisquer que sejam os primeiros-ministros".

 

José Eduardo Martins foi uma das últimas vozes no PSD a deixar críticas ao Presidente da República, ao afirmar no Diário de Notícias que Marcelo se "descredibilizou" e revelou parcialidade ao assumir a defesa do ministro das Finanças.

 

"É natural que critiquem aquilo com que se discorda. É bom que suceda", disse Marcelo Rebelo de Sousa esta segunda-feira, 13 de Fevereiro, aos jornalistas. "É natural" e "estava à espera" das críticas, acrescentou, lembrando que quando era o líder do PSD também as fez.

 

Recordou ainda que os seus antecessores em Belém "mantiveram o apoio, anos a fio, a governos que não eram da sua área política. Faz parte da lógica do papel constitucional" dos Presidentes da República.

 

Em relação aos elevados níveis de popularidade que as últimas sondagens mostram sobre o Presidente da República "não me posso queixar", disse Marcelo, considerando que "é simpático que os portugueses tenham um conceito tão generoso em relação à minha actuação".

 

 

 

 


A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 14.02.2017

Pensei que depois deste tempo todo, já fosse líquido quem realmente rebentou com o País, o PR sabe isso melhor que ninguém, e sabe mais. Se o país continuasse a ser governado pelos mesmos, ou por outros com os mesmos princípios programáticos, as mesmas opções as mesmas polípticas ...coitados de nos.

Anónimo 14.02.2017

Ainda não percebi o que é que o Sr Feliz quis dizer quando afirmou que era Presidente de todos os portugueses... porque sempre pensei que ele apenas exercia o cargo de Presidente da República Portuguesa.... O Sr Feliz deve andar confuso ... como sempre...

Sr. PR desculpe que lhe diga mas... 13.02.2017

O Sr. "joga" na equipa do governo neste jogo "democrático " e deveria ser árbitro. Se o Ps rebentar com o país outra vez, o Sr. é cúmplice. Assim, se o governo for para o caixote do lixo, da história, o Sr. deve ir junto. Ex-votante do Sr. PR

Anónimo 13.02.2017

Palerma es tu, emigra pá!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub