Política Presidente da República elogia mensagem de Natal do primeiro-ministro

Presidente da República elogia mensagem de Natal do primeiro-ministro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou "muito boa" a mensagem de Natal que o primeiro-ministro dirigiu segunda-feira aos portugueses, sublinhando que falou do que se fez de bom, mas também dos problemas e tragédias.
Presidente da República elogia mensagem de Natal do primeiro-ministro
Lusa 26 de dezembro de 2017 às 21:19

"Eu achei uma mensagem muito boa", disse Marcelo Rebelo de Sousa, após questionado pelos jornalistas ao início de um jantar promovido pela organização "Refood", que recolhe alimentos cedidos por restaurantes, lojas e outras instituições para as distribuir pelos mais carenciados.

 

O Presidente da República sublinhou que António Costa "falou realmente daquilo que se fez de bom e do muito bom que os portugueses fizeram este ano, mas também dos problemas, das tragédias". "E disse-o de forma muito clara e directa, assumindo uma coisa e outra como todos nós assumimos", declarou o chefe do Estado.

 

Questionado sobre a prioridade ao emprego que o primeiro-ministro identificou para 2018, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que "o crescimento só faz sentido se houver emprego" o que significa "emprego melhor e mais estável, menos precário". "Espera-se isso", acrescentou o Presidente da República, afirmando ainda esperar que o crescimento possa fazer diminuir a pobreza e as desigualdades que há em Portugal".

 

Na habitual mensagem de Natal que dirigiu no dia 25 aos portugueses, o primeiro-ministro disse que a prioridade do Governo em 2018 será "mais e melhor" emprego e prometeu, "naquilo que é humanamente possível", total empenhamento para evitar novas tragédias com incêndios.

 

"Reafirmo, perante os portugueses, o compromisso de fazer tudo o que tem de ser feito para prevenir e evitar, naquilo que é humanamente possível, tragédias como a que vivemos. Melhorando a prevenção, o alerta, o socorro, a capacidade de combater as chamas", salientou. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub