Economia Presidente da República “espera a rápida estabilização dos fogos” e “falará depois ao País”

Presidente da República “espera a rápida estabilização dos fogos” e “falará depois ao País”

Numa nota pública no site da presidência da República é referido que Marcelo Rebelo de Sousa está “a acompanhar a situação dos incêndios em todo o Continente”. “O Chefe de Estado espera a rápida estabilização dos fogos e o balanço da tragédia, e falará depois ao País”.
Presidente da República “espera a rápida estabilização dos fogos” e “falará depois ao País”
Negócios 16 de outubro de 2017 às 14:57

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, "está a acompanhar a situação dos incêndios em todo o Continente", refere uma nota publicada no site da presidência da República. "O Chefe de Estado espera a rápida estabilização dos fogos e o balanço da tragédia, e falará depois ao País, bem como irá visitar, ao longo dos dias seguintes, as principais áreas ardidas, cancelando a agenda programada esta semana e ponderando, se for caso disso, adiar também a visita aos Açores na próxima", pode ler-se ainda na nota.

No último sábado, o Presidente da República disse, em Pedrógão Grande, que Portugal aguarda "as consequências que o Governo irá retirar" do incêndio na região Centro no qual morreram 64 pessoas. "Portugal aguarda com legítima expectativa as consequências que o Governo irá retirar de uma tragédia sem precedentes na nossa história democrática", afirmou o chefe de Estado, em Pedrógão Grande, que nesse momento recebeu um forte aplauso das cerca de 200 pessoas presentes na sala.

Na nota publicada no site da presidência da República é referido ainda que: "o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa recorda as palavras que proferiu no sábado em Pedrógão Grande, véspera desta nova tragédia, apelando a uma mudança de ponto de vista, traduzida em actos e não em palavras. O que acabou de suceder só dá razão acrescida à sua intervenção de sábado passado".

Pelo menos 31 pessoas morreram nas centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia do ano em fogos, confirmou a Autoridade Nacional da Protecção Civil.

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa recorda as palavras que proferiu no sábado em Pedrógão Grande, véspera desta nova tragédia, apelando a uma mudança de ponto de vista, traduzida em actos e não em palavras. O que acabou de suceder só dá razão acrescida à sua intervenção de sábado passado.  Presidente da República









pub