Américas Presidente do Brasil na China para convencer investidores a ir às privatizações

Presidente do Brasil na China para convencer investidores a ir às privatizações

O Presidente do Brasil, Michel Temer, viaja hoje para a China, esperando atrair investidores chineses para o mais ambicioso projeto de privatizações do país em 20 anos, que inclui ativos em portos, estradas e concessões de aeroportos.
Presidente do Brasil na China para convencer investidores a ir às privatizações
Reuters
Lusa 29 de agosto de 2017 às 07:52
"Esperamos que a China esteja interessada nas privatizações que vamos fazer e que possamos trazer capital para o Brasil", disse o Presidente brasileiro numa entrevista ao canal de televisão estatal CCTV da China.

"Isso seria muito útil para nós", vincou o governante, uma semana depois do anúncio de 58 activos a serem privatizados, incluindo o maior fornecedor de energia da América Latina, a Eletrobras, e o lucrativo terminal de Congonhas, em São Paulo.

"O Brasil é uma saída segura para os investidores chineses e um importante fornecedor de alimentos e de produtos da China, o nosso principal parceiro comercial", acrescentou Michel Temer no lançamento da visita que contará com a presença de 40 empresários brasileiros.

Os analistas estimam que o Estado poderia ganhar quase 13 mil milhões de dólares com as privatizações até ao final do próximo ano, quando termina o mandato de Temer, mas a política de privatizações tem sido bastante criticada por "vender as jóias da coroa" para reduzir o défice das contas públicas num período de baixo crescimento económico e de cortes na despesa.

Em 2009, Pequim tornou-se o maior parceiro comercial de Brasília, e no ano passado o comércio entre os dois países chegou aos 58 mil milhões de dólares, com um saldo positivo de 12 mil milhões para o Brasil.

Além do encontro bilateral que manterá com o seu homólogo, Xi Jinping, e o primeiro-ministro, Li Keqiang, o Presidente brasileiro vai também participar na cimeira dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que decorrerá em Xiamen, no sudeste da China.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Abre olhos 29.08.2017

Chinoca não é burro cara. Quem é que vai meter dinheiro num país de ladrões. Só depois de uma limpeza. Tipo o que fizeram os nazis aos judeus. Sim porque no brazil ladrões são aos milhões e depois ainda tem o grupo dos malandros, igualmente aos milhões. Acordem para a vida.

Saber mais e Alertas
pub