Zona Euro Presidente do Bundesbank alerta que medidas proteccionistas podem ameaçar economia global

Presidente do Bundesbank alerta que medidas proteccionistas podem ameaçar economia global

Jens Weidmann referiu ainda que os receios em torno da volatilidade dos mercados e da sustentabilidade das finanças públicas não devem levar ao adiamento da reversão da política monetária na Zona Euro.
Presidente do Bundesbank alerta que medidas proteccionistas podem ameaçar economia global
Bloomberg
Rita Faria 19 de dezembro de 2016 às 18:21

O presidente do Bundesbank alertou esta segunda-feira, 19 de Dezembro, para os riscos que as medidas proteccionistas podem colocar para o crescimento da economia global, numa altura em que o presidente eleito dos Estados Unidos – a maior economia do mundo – promete rasgar acordos comerciais já estabelecidos ou em curso.

 

"Estou convencido que a introdução de barreiras ao comércio ou outras medidas proteccionistas intensificaria uma situação em que o crescimento global já parece fraco", declarou Jens Weidmann, num discurso realizado em Bruxelas.

 

O responsável da autoridade monetária alemã considera mesmo que "se muitos [países] agirem desta forma, isso também colocará grandes riscos à economia global".

 

Nesse contexto, a Alemanha, que tem agora a presidência do G-20, "vai esforçar-se para reiterar o compromisso do G-20 em manter os mercados abertos e abster-se de medidas proteccionistas adicionais", afirmou o responsável.

 

Weidmann, que é também membro do conselho de governadores do Banco Central Europeu (BCE) falou ainda sobre as mais recentes medidas da autoridade monetária, sublinhando que a redução do ritmo mensal de compras do BCE pode ser vista "como uma expressão da crescente confiança na recuperação económica da Zona Euro".

 

"A deflação já não é uma questão. E, para ser honesto, o risco de deflação foi largamente sobrestimado no passado", considerou Weidmann.

 

O membro do BCE disse ainda que o perigo de a política orçamental ficar demasiado confortável com o ambiente de juros baixos "aumenta com o tempo" em que estas condições favoráveis existem.

 

Por isso, defendeu, é fundamental que os receios em torno da volatilidade dos mercados financeiros e da sustentabilidade das finanças públicas não levem a um adiamento da reversão da política monetária, se isso for o necessário para atingir o objectivo da estabilidade dos preços.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub