Política Presidente Marcelo já passou 177 horas nas televisões generalistas

Presidente Marcelo já passou 177 horas nas televisões generalistas

Um estudo da Marktest dá números ao mediatismo do chefe de Estado desde a eleição – e só inclui a informação dos canais generalistas. É mais tempo do que Cavaco e Sócrates juntos, quando coincidiram em Belém e São Bento.
Presidente Marcelo já passou 177 horas nas televisões generalistas
Lusa
António Larguesa 24 de janeiro de 2018 às 13:30

Sete dias seguidos em frente à televisão não seriam suficientes para rever todos os conteúdos de informação que nos últimos dois anos passaram nos quatro canais generalistas (RTP 1, RTP2, SIC e TVI) e que tiveram como protagonista o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

 

A (omni)presença mediática do chefe de Estado é reconhecida e comentada desde que o antigo comentador televisivo foi eleito a 24 de Janeiro de 2016, sucedendo a Cavaco Silva. Mas os dados da Marktest, citados esta quarta-feira pelo jornal Público, expressam em números essa assiduidade televisiva: 177 horas, 7 minutos e 48 segundos.

 

Nos 24 meses que leva no cargo, Marcelo foi o político com maior tempo de antena em 15 – suplantado nesses períodos sempre por António Costa. Só em dois meses é que ficou abaixo do segundo lugar neste ranking: em 10.º em Fevereiro de 2016, enquanto não tomava posse e se colocava no centro da vida política portuguesa; e em 6.º em Setembro de 2017, dominado pela campanha para as eleições autárquicas, em que cedeu o palco aos líderes partidários.

 

As 88 horas que só no ano passado "passou" em duas mil notícias emitidas por estes canais – estão excluídos nesta contabilização os canais por cabo, os vídeos na Internet, os jornais e a rádio – superaram, segundo a análise do Público, as horas que Cavaco Silva e José Sócrates somaram em 2007, igualmente o segundo ano em que coincidiram em Belém e São Bento.

 
Portugueses dão 18 valores a Marcelo

Marcelo Rebelo de Sousa venceu as Presidenciais com 52% dos votos. Volvidos dois anos, as sondagens mostram que tem o apoio de muitos mais portugueses. O barómetro da Aximage revela que 87% avalia "bem" o trabalho do Presidente da República, que recebe uma nota de 18,2 valores (de zero a 20), mantendo a popularidade quase intacta durante o exercício do poder.

 

Este é um nível de popularidade muito alto, que o antecessor nunca atingiu. No entanto, como o Negócios noticia esta quarta-feira, manter dois anos de estado de graça não é nenhuma proeza. Também Cavaco Silva os teve: em Janeiro de 2008, de acordo com o barómetro da mesma empresa, a avaliação de 15,5 que registava era idêntica à que recebera no início do seu mandato, após derrotar Manuel Alegre e Mário Soares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub