Mundo Presidente norte-americano usa Twitter para criticar protestos

Presidente norte-americano usa Twitter para criticar protestos

"Vi os protestos ontem [sábado] mas tinha a impressão de que ainda agora tivemos uma eleição! Por que é que essas pessoas não votaram?", escreveu Trump na sua conta pessoal.
Presidente norte-americano usa Twitter para criticar protestos
Brian Snyder/Reuters
Negócios com Lusa 22 de janeiro de 2017 às 15:14

O presidente norte-americano, Donald Trump, criticou hoje, na rede social Twitter, os milhões de pessoas que marcharam, no sábado, nos Estados Unidos em protesto contra a sua presidência.

 

"Vi os protestos ontem [sábado] mas tinha a impressão de que ainda agora tivemos uma eleição! Por que é que essas pessoas não votaram?", escreveu.

 

Mais de uma hora depois Trump acrescentou que os protestos pacíficos "são uma marca da nossa democracia e mesmo que não concorde, reconheço o direito destas pessoas de expressarem a sua visão".    

 

Mais de dois milhões de pessoas inundaram cidades norte-americanas no sábado, em protestos liderados por mulheres contra Trump, que muitos temem que vai fazer regredir os direitos das mulheres, imigrantes e minorias.

Mais de dois milhões de pessoas inundaram cidades norte-americanas no sábado, em protestos liderados por mulheres contra Trump, que muitos temem que vai fazer regredir os direitos das mulheres, imigrantes e minorias.

 

Os protestos, replicados um pouco por todo o mundo, ocorreram dias depois de Trump ter assumido a presidência dos Estados Unidos com uma taxa de aprovação de apenas 37%.

 

A estrela da música pop Madonna compareceu aos protestos no sábado, em Washington, juntando-se a milhares de pessoas que se manifestaram pelos direitos das mulheres e desafiando Trump.

 

Outras celebridades marcaram presença, como as atrizes Scarlett Johansson, Ashley Judd ou America Ferrera, o realizador Michael Moore ou a feminista Gloria Steinem.

 

 

   

A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Ciifrão 22.01.2017

Acho bem que continue assim, a respeitar as manifestações pacíficas. Os EUA não são a China nem a Rússia, países sem tradição democrática onde facilmente se instala um ditador.

comentários mais recentes
nb 22.01.2017

Ora nem mais. Porque não votaram ou votaram nele? Havia outro candidato. A democracia é assim, embora só agrade a alguns, quando ganham. Ganhou, agora são 4 anos que quer se concorde ou não com ele, ele é o presidente, e ponto final. As manifestações só mostram, MAU PERDER.

Anónimo 22.01.2017

Duas coisas estou contra ele:abandalhar-se para o meio ambiente,quando cada vez mais gente e cada vez mais novos sao contaminados pelo ar q respiram,a outra e ele estar contra ao medico de casa para toda a gente,as vezes 1 simples gesto faz a diferenca.Nao foi o povo que o ilegeu,sim Obama,esperemos

Ciifrão 22.01.2017

Acho bem que continue assim, a respeitar as manifestações pacíficas. Os EUA não são a China nem a Rússia, países sem tradição democrática onde facilmente se instala um ditador.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub