Orçamento do Estado Presidente da República insiste que estará em silêncio sobre proposta de OE do Governo

Presidente da República insiste que estará em silêncio sobre proposta de OE do Governo

O Presidente da República voltou hoje a recusar-se a fazer qualquer comentário sobre o Orçamento do Estado para 2017, alegando que esse documento ainda terá de ser apresentado pelo Governo e depois discutido e votado no parlamento.
Presidente da República insiste que estará em silêncio sobre proposta de OE do Governo
Bruno Simão/Negócios
Lusa 04 de Outubro de 2016 às 21:59

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas após ter estado presente na cerimónia de inauguração do novo Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia (MAAT), que é propriedade da EDP, numa cerimónia em que também estiveram presentes o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa.

 

"Então venho ver esta beleza [o novo MAAT] e estão a falar-me sobre o Orçamento do Estado", começou por responder Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, usando um tom de humor.

 

Mais a sério, o chefe de Estado repetiu que só se pronunciará sobre o Orçamento do próximo ano "após ter sido apresentado" pelo Governo, "discutido e votado" pela Assembleia da República "e submetido a promulgação". "Até lá, não me vou pronunciar", vincou.

 

Ao longo da visita ao MAAT, também o primeiro-ministro, António Costa, foi questionado sobre a série de reuniões de trabalho que teve esta tarde em São Bento - reuniões que terão envolvido as direcções do Bloco de Esquerda, do PCP e "Os Verdes" sobre o Orçamento do Estado para 2017. Mas, perante os jornalistas, António Costa não abriu o jogo e limitou-se a dizer que teve uma tarde que "correu bem" em São Bento.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub