Mundo Primeira-ministra britânica quer discutir comércio e NATO com Donald Trump

Primeira-ministra britânica quer discutir comércio e NATO com Donald Trump

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou hoje que tenciona discutir a importância da aliança militar NATO e um eventual futuro acordo de comércio livre durante o encontro com o novo Presidente americano, Donald Trump, previsto para sexta-feira.
Primeira-ministra britânica quer discutir comércio e NATO com Donald Trump
.
Lusa 22 de janeiro de 2017 às 17:57

May será a primeira líder internacional a ser recebida por Trump na Casa Branca. Este convite foi encarado no Reino Unido como uma afirmação de que Trump valoriza a "relação especial" entre os Estados Unidos e o seu aliado de longa data do outro lado do Atlântico.

 

Apesar da vertente proteccionista da nova administração norte-americana, a primeira-ministra britânica referiu, em declarações à estação pública britânica BBC, que a equipa de Donald Trump está interessada em discutir um novo acordo de comércio com o Reino Unido.

 

No seu discurso inaugural, na cerimónia de tomada de posse na passada sexta-feira, Trump reiterou a posição que a América será sempre a prioridade e que irá avaliar todos os acordos comerciais e os respectivos benefícios para os Estados Unidos.

 

Segundo Theresa May, qualquer líder nacional faria o mesmo ao assinar um pacto comercial.

 

O Reino Unido encara um futuro acordo comercial com os Estados Unidos como vital, numa altura em que o país se prepara para deixar a União Europeia (UE). No entanto, as intenções do Reino Unido em aumentar o comércio poderão entrar em conflito com a postura proteccionista de Trump.

 

Na mesma entrevista à BBC, May afirmou que tenciona salientar na reunião com o Trump o valor da Aliança Atlântica. Para a conservadora britânica, a NATO é o "baluarte" do sistema de defesa europeu.

 

Numa entrevista recente aos jornais britânico The Times e ao alemão Bild, Trump qualificou a NATO como uma organização "obsoleta porque não está a tratar do terrorismo", censurando ainda os Estados-membros da Aliança por não pagarem a sua parte na defesa comum e de se apoiarem sempre nos EUA.

 

Segundo Theresa May, o novo Presidente dos Estados Unidos compreende o papel vital da NATO.

 

A primeira-ministra britânica não respondeu directamente quando questionada se iria abordar no encontro de sexta-feira em Washington os comentários depreciativos que Trump fez durante a campanha presidencial sobre as mulheres.

 

Mas, admitiu que não ficará calada se surgirem no futuro comentários ou comportamentos "inaceitáveis".

 

Fontes oficiais britânicas informaram que May irá encontrar-se também com senadores e representantes republicanos em Filadélfia.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ciifrão 22.01.2017

O Presidente nem deve estar para discutir estes assuntos, para ele interessa dizer sempre o mesmo, assim não se baralha nem baralha o povo.

Anónimo 22.01.2017

Espero que o golpe de Trump nao seja identico a um que eu segui de perto:o tempo vai depressa,suponho que foi nos 70 principios de 80 q um Industrial da freguesia. se candidatou a presidencia da junta apenas e so para abrir caminhos(estradas) para passarem camioes em diracao as empresas que possuia.

pub
pub
pub
pub