Mundo Primeiro-ministro australiano acusado de comprar eleições que venceu

Primeiro-ministro australiano acusado de comprar eleições que venceu

O primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, foi acusado hoje de comprar as eleições após admitir que doou 1,3 milhões de dólares (1,2 milhões de euros) para financiar o seu partido na última campanha eleitoral.
Primeiro-ministro australiano acusado de comprar eleições que venceu
Bloomberg
Lusa 02 de fevereiro de 2017 às 08:26

"Contribuí com 1,75 milhões de dólares [australianos], foi o que doei", disse Turnbull, também líder do Partido Liberal, na noite de quarta-feira, numa entrevista à emissora ABC.

 

O donativo, que segundo a imprensa local serviu para financiar anúncios de televisão, inquéritos e envio de propaganda por correio, foi feito antes das eleições de Julho passado.

 

Segundo o jornal Sydney Morning Herald, o donativo de Turnbull representa a maior doação financeira a um partido político realizada por um indivíduo no país.

 

Até agora Turnbull, ex-banqueiro multimilionário, tinha evitado referir-se a esta doação, que segundo a legislação eleitoral podia ter sido mantida em segredo por mais um ano.

 

O primeiro-ministro defendeu-se assegurando que investiu no seu próprio partido e acusou o Partido Trabalhista de financiar-se com o apoio de sindicatos, o que não evitou críticas da oposição.

 

"Não pôde ganhar as eleições pelos seus próprios méritos pelo que teve de deitar a mão à sua carteira", disse o porta-voz das Finanças dos trabalhistas, Jim Chalmers, à ABC.

 

Chalmers acusou Turnbull de tentar manter em segredo "pelo maior tempo possível" a doação e destacou que, ao contrário do Governo, os trabalhistas revelam correctamente as fontes das doações.

 

A lei australiana de financiamento de partidos prevê subvenções em função dos resultados eleitorais e aceita donativos privados para cobrir os custos das campanhas.

 

A Austrália também é uma das poucas democracias que permite financiamento de fontes estrangeiras aos seus partidos.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Quem perde entra em descompensação e usa de todos os meios para desacreditar o vencedor pondo em simultâneo em causa os sistemas eleitorais.Regras são regras e quem as cumpre e vence governa.Os interesses que rapidamente se instalam n gostam de mudanças e protestam n gostam da alternancia tal como

1 vencedor Há 3 semanas

Se deitou a mão à sua própria carteira para vencer eleições ,esse é dos bons ,cá os nossos deitam a mão às carteiras dos outros

pub
pub
pub
pub