Política Primeiro-ministro da Nova Zelândia demite-se

Primeiro-ministro da Nova Zelândia demite-se

Foi com surpresa que a notícia chegou. John Key, primeiro-ministro da Nova Zelândia, anunciou a sua demissão. É "o momento certo" para deixar a política, disse.
Primeiro-ministro da Nova Zelândia demite-se
Reuters
Sara Antunes 05 de Dezembro de 2016 às 00:39

John Key (na foto, à esquerda) anunciou a sua demissão do Governo da Nova Zelândia, estava o mundo de olhos postos em Itália, com o resultado do referendo a dar a vitória do "não" e a ditar a demissão de Matteo Renzi como líder do Governo.

 

Na Nova Zelândia também houve assim a demissão do primeiro-ministro mas, ao contrário do que aconteceu em Itália, foi com surpresa que foi recebida a notícia. É "o momento certo" para deixar a política, afirmou John Key, citado pela Reuters.

 

O responsável deu uma conferência de imprensa às 12:45, hora local, (23:45, hora de Lisboa), depois de ter reunido com o seu Governo e de ter anunciado a decisão, revela o Guardian, que qualifica a decisão de "chocante".

 

"Nunca me vi com uma carreira política", afirmou aos jornalistas numa declaração transmitida em diferido pela CNN. "Para mim parece-me o momento certo para sair", realçando a situação do país e do partido, que está "em grande forma".

 

A saída tem efeitos a partir de 12 de Dezembro, acrescentou, salientando que esta foi a "decisão mais difícil" que tomou.

 

John Key agradeceu o apoio dos parceiros de Governo, bem como ao eleitorado por o terem elegido, realçando que foi "um privilégio servir" o país.

 

O ainda governante disse ainda que acredita que um bom primeiro-ministro é aquele que deixa o país numa situação melhor do que quando tomou posse. "Com o tempo outros julgarão se fiz isso", afirmou. "Tudo o que posso dizer é que dei tudo que tinha", acrescentou.

 

Key disse que vai permanecer no Parlamento durante o tempo que for necessário, mas que sairá antes das próximas eleições, agendadas para 18 de Novembro de 2017.

 

 

John Key demite-se de primeiro-ministro mas também de líder do Partido Nacional. Mas deixou um "escolhido": Bill English. Este foi o nome apresentado pelo ainda primeiro-ministro para lhe suceder. Bill English é o vice-primeiro-ministro e, como realçou na conferência de imprensa, tem-no acompanhado nos últimos 10 anos.

 

John Key abandona assim a vida política, "desejando e acreditando que a Nova Zelândia tenha sido bem servida pelo Governo que liderei".

A Bloomberg realça que Key e o ministro das Finanças (e vice-primeiro-ministro), Bill English, colocaram a Nova Zelândia entre os países que mais crescem no mundo, tendo conseguido apresentar um exdente orçamental este ano. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub