Mundo Primeiro-ministro japonês visita Pearl Harbor este mês

Primeiro-ministro japonês visita Pearl Harbor este mês

O primeiro-ministro Shinzo Abe será o primeiro líder japonês a visitar Pearl Harbor, devendo viajar ainda este mês para o Havai, onde se reunirá com o presidente norte-americano, Barack Obama.
Primeiro-ministro japonês visita Pearl Harbor este mês
Reuters
Lusa 05 de dezembro de 2016 às 11:30
"Vou visitar Pearl Harbor" com Obama, disse aos jornalistas em declarações em directo na televisão.

O primeiro-ministro japonês estará no Havai entre 26 e 27 de Dezembro e visitará o local do ataque surpresa do Japão a 7 de Dezembro de 1941, que deu início à II Guerra Mundial no Pacífico.

"Quero utilizar esta oportunidade para mostrar o meu respeito para com as vítimas. Deve ser uma mostra da reconciliação entre o Japão e os EUA. A nossa aliança é muito importante e uma esperança para o mundo actual", disse o político japonês.

A visita ao Havai surge depois de Obama ter visitado, em Maio, Hiroshima, a cidade japonesa onde os norte-americanos largaram a primeira bomba nuclear no final da II Guerra Mundial, matando 140 mil pessoas. Nagasaki foi bombardeada vários dias mais tarde.

"A visita de Obama a Hiroshima e a sua mensagem de que é preciso conseguir um mundo sem armas nucleares chegou ao coração de muitos japoneses", disse Abe.

A visita de Obama lançou a suspeita de que Abe poderia visitar Pearl Harbor como resposta, mas o governo negara até agora estar a considerar essa possibilidade.

A mulher do primeiro-ministro, Akie, visitou Pearl Harbor em Agosto e escreveu no Facebook ter oferecido flores e orações no memorial ao USS Arizona.

No dia do bombardeamento, há 75 anos, a aviação japonesa atacou a base naval norte-americana, matando mais de 2.400 militares e civis norte-americanos, numa data que o então presidente Franklin Roosevelt declarou que viveria na "infâmia".

O bombardeamento contra a frota do pacífico, que durou duas horas, afundou ou danificou cerca de 20 navios e destruiu 164 aviões.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub