Banca & Finanças Procurador angolano garante que investigação ao ex-BESA está em curso

Procurador angolano garante que investigação ao ex-BESA está em curso

O Procurador-Geral da República de Angola disse em Luanda que continuam as investigações à gestão do ex-Banco Espírito Santo Angola (BESA), mas admitindo que o trabalho não tem sido fácil.
Procurador angolano garante que investigação ao ex-BESA está em curso
Reuters
Lusa 17 de Novembro de 2016 às 00:13

"É uma situação que não é fácil, mas está-se a trabalhar, não com a velocidade que se pretendia, mas aquilo que é possível vai-se fazendo", disse João Maria de Sousa na quarta-feira, 16 de Novembro, quando questionado pela agência Lusa sobre a investigação ao ex-BESA, à margem da abertura da XI Conferência Anual e Assembleia Geral de Membros da Associação dos Procuradores de África.

 

João Maria de Sousa disse que o inquérito foi requerido a pedido dos accionistas do banco, salientando que o desenvolvimento da investigação "passa pela própria colaboração dos órgãos do próprio banco".

 

Em Abril deste ano, o Procurador-Geral da República de Angola tinha informado que estava aberto um inquérito à gestão do BESA.

 

Devido ao crédito malparado, estimado em cinco mil milhões de dólares, O BESA foi transformado, por decisão dos novos accionistas e conforme exigência do banco central angolano, em Banco Económico, a 29 de Outubro de 2014, avançando também um aumento de capital e a entrada da Sonangol no capital social.

 

Após o colapso do Banco Espírito Santo português, o BESA foi intervencionado pelo Estado angolano, a 4 de Agosto de 2014.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub