Conjuntura Produção industrial acelera em Julho

Produção industrial acelera em Julho

Os números do INE dão conta de um aumento de 6,4% em termos homólogos e de 2% em cadeia, no mês em que estreia uma nova série de índices de Produção Industrial tomando o ano 2015 como base 100.
Produção industrial acelera em Julho
Paulo Duarte/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 30 de agosto de 2017 às 11:30

A actividade industrial em Portugal acelerou no mês passado, crescendo tanto em cadeia como em termos homólogos a um ritmo superior ao verificado em Junho.

Os dados conhecidos esta quarta-feira, 30 de Agosto, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, referem que a produção industrial avançou em Julho 6,4% em relação ao mesmo mês do ano passado (uma subida de 2,7 pontos percentuais face ao verificado em Junho). Para esta subida contribuíram os sectores de bens de consumo e energia, tal como os bens intermédios e de investimento.

Já entre Junho e Julho (em cadeia) o crescimento foi de 2%, contra uma retracção de 0,2% que tinha sido verificada entre Maio e Junho. A apreciação é justificada pelo contributo positivo do agrupamento de energia, enquanto os agrupamentos e bens de investimento e bens de consumo contribuíram negativamente para o resultado.

O INE refere ainda que os dados relativos a Julho estreiam uma nova série de índices de produção industrial, em que os valores recuam até Janeiro de 2005 e que tomam o ano de 2015 como a base 100. 

"O processo de mudança de base ocorre no quadro dos regulamentos da União Europeia. A base 2015=100 do IPI reflecte a utilização de uma nova amostra de empresas e de produtos, tendo-se procedido também à actualização da estrutura de ponderadores, que determinou o aumento do peso relativo dos bens de consumo não duradouro e a redução do peso dos bens intermédios. Estas alterações originaram revisões dos resultados anteriormente publicados, que se apresentam de forma resumida na nota final," lê-se na nota.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub