Conjuntura Produção industrial alemã com maior queda em seis meses

Produção industrial alemã com maior queda em seis meses

Analistas e governo olham para o comportamento no mês de Junho como passageiro e incapaz de inverter a tendência de crescimento da indústria germânica, que representa quase um terço do PIB do país.
Produção industrial alemã com maior queda em seis meses
Paulo Zacarias Gomes 07 de agosto de 2017 às 07:45

O motor económico europeu deu sinais de abrandamento em Junho, com a produção industrial na Alemanha a cair 1,1% em relação a Maio, mês em que tinha subido 1,2%. Em cadeia, este é o maior recuo registado em 2017, representando a maior queda em seis meses.  

Também em termos homólogos, os números da entidade estatística germânica Destatis dão mostras de arrefecimento, passando de um crescimento de 5% para apenas 2,4% em Junho, um ritmo que é menos de metade. 

Os analistas esperavam uma travagem, mas não tão forte, antecipando que este indicador crescesse 3,7% em termos anuais e 0,2% em cadeia.

Sinais que põem fim a cinco meses consecutivos de crescimento para a actividade das fábricas alemãs, que têm um contributo de cerca de um terço para o produto interno bruto (PIB). Mas os analistas não vêem este comportamento como capaz de inverter a marcha da economia alemã.

A sustentar os ganhos do início do ano estiveram não só a recuperação da economia da Zona Euro como um aumento da confiança dos consumidores e dos empresários na moeda única. Já a condicionar o mês de Junho estiveram as actividades manufactureiras e da construção


"A economia alemã ainda está em condições de concretizar outro trimestre forte. Dados os fundamentais sólidos, um mês de fraca actividade das indústrias deverá ser como um chuvisco num dia quente e húmido de Verão: um refresco bem-vindo", afirmou ao Financial Times o economista-chefe da ING, Carsten Brzeski.

"As encomendas às fábricas, bem como os indicadores de clima económico, apontam para que prossiga a tendência de crescimento na produção industrial," afirma por seu lado o ministério da Economia alemã, citado pela Bloomberg.

Os dados são conhecidos na semana anterior a ser revelado o PIB do segundo trimestre, depois de a economia de Berlim ter avançado 0,6% nos primeiros três meses do ano.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub