Política PS acusa PSD de desrespeitar concertação social

PS acusa PSD de desrespeitar concertação social

O PSD anunciou esta quinta-feira que votará contra a descida da TSU para os patrões se a medida for discutida no Parlamento. Partidos à esquerda do PS mantêm intenção de levar medida à Assembleia.
PS acusa PSD de desrespeitar concertação social
Miguel Baltazar/Negócios
Marta Moitinho Oliveira 12 de janeiro de 2017 às 15:47
"Nós respeitamos a concertação social". É assim que Carlos César, o líder parlamentar socialista, reage ao anúncio feito esta quinta-feira pelo PSD de que votará contra a redução da Taxa Social Única (TSU) para os patrões caso a medida seja apreciada no Parlamento. Esta decisão de Passos Coelho deixa o PS isolado e impedido de fazer cumprir o acordo alcançado em Dezembro na concertação social sobre o salário mínimo.

Na declaração feita por Carlos César ao Negócios o presidente socialista afirma que o PS respeita das decisões da concertação social, querendo com esta frase destacar que, pelo contrário, o PSD não.

O PSD anunciou esta quinta-feira que, se os partidos à esquerda do Governo levarem a redução da TSU ao Parlamento, o PSD votará contra. A decisão está a ser mal recebida pelos patrões. 

No final de Dezembro, o Governo conseguiu um acordo da concertação social para aumentar o salário mínimo nacional (SMN) e em contrapartida reduzir a TSU paga pelas empresas. 

A 1 de Janeiro deste ano, o salário mínimo subiu de 530 para 557 euros. O Executivo conseguiu o acordo dos patrões para este aumento com uma descida de 1,25 pontos percentuais na TSU suportada pelas entidades empregadoras. 

O Negócios sabe que a decisão do PSD não fez os parceiros do Governo à esquerda do PS mudar de ideias. Bloco e Verdes mantêm a intenção de levar ou apoiar uma revogação da medida no âmbito de uma apreciação parlamentar.

Porém, esse debate só pode acontecer depois de haver lei. Para já o Governo ainda não apresentou o diploma que cumpre a promessa de redução da TSU para as empresas.

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
}
pub