Política PS "chumba" candidatura de Teresa Morais do PSD para liderar fiscalização das "secretas"

PS "chumba" candidatura de Teresa Morais do PSD para liderar fiscalização das "secretas"

A posição foi transmitida à Agência Lusa por fonte da direcção da bancada socialista, após a reunião semanal de hoje do grupo parlamentar do PS.
PS "chumba" candidatura de Teresa Morais do PSD para liderar fiscalização das "secretas"
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 11 de maio de 2017 às 14:35

O PS decidiu hoje 'chumbar' a candidatura da vice-presidente do PSD Teresa Morais para substituir o antigo dirigente social-democrata Paulo Mota Pinto na presidência do Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República Portuguesa (CFSIRP).

 

Esta posição foi transmitida à Agência Lusa por fonte da direcção da bancada socialista, após a reunião semanal de hoje do grupo parlamentar do PS.

 

"O PS decidiu manifestar a sua indisponibilidade para apoiar a candidatura proposta pelo PSD. O PS não subscreverá essa candidatura", referiu a mesma fonte socialista em relação ao processo de aprovação do novo presidente do Conselho de Fiscalização das (secretas), que exige uma maioria de dois terços no parlamento.

 

Em declarações à Lusa, na terça-feira, o líder do grupo parlamentar socialista, Carlos César, já tinha sinalizado não subscrever a proposta que lhe foi feita pelo seu homólogo do PSD, Luís Montenegro, por entender que havia o risco de o nome proposto "não ser aceite pelo grupo parlamentar" socialista e gerar-se um impasse semelhante ao da primeira eleição de Correia de Campos para o Conselho Económico e Social (CES).

 

Nessa eleição, em Julho do ano passado, apesar de haver um acordo entre PSD e PS acerca da eleição para o CES, Correia de Campos falhou a eleição à primeira quando, entre os 221 deputados que votaram, obteve apenas 105 votos a favor, registando-se 93 brancos e 23 nulos, e só viria a ser eleito num segundo momento, em Outubro.

 

"O PS assume as suas responsabilidades, não posso dizer que sim a algo que o grupo parlamentar dirá que não", justificou na passada terça-feira Carlos César, que, semanas antes, tinha manifestado a sua disponibilidade para apoiar uma recandidatura à presidência do Conselho de Fiscalização das "secretas" de Paulo Mota Pinto, antigo juiz do Tribunal Constitucional e vice-presidente do PSD sob a liderança de Manuela Ferreira Leite.

 

A eleição de um membro para o CFSIRP estava inicialmente marcada para hoje, o que já não acontecerá.

 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado IS 12.05.2017

Acho que foi um erro do Dr António Costa.

comentários mais recentes
IS 12.05.2017

O ignorante que no campo nome escreve "ESTA TERESA MORAIS, POBREZITA, NEM DÁ PARA COMEÇAR" tem uma competência comunicativa medíocre, dificuldades na expressão escrita e uma linguagem ao nível e.g. "clone,vígaro PASSOS,voz do dono,rabinho a abanar, migalhas". Um iletrado que não comenta nem faz crítica limita-se a referências rudes num tom popularucho.

IS 12.05.2017

Acho que foi um erro do Dr António Costa.

Anónimo 11.05.2017

Pela peixeirada que se passou na AR há uns tempos , em que esta senhora aparecia a bater na mesa, não tem de certeza o perfil para um cargo destes.Poderá sim entrar nas campanhas eleitorais , principalmente quando visitarem feiras e mercados

Anónimo 11.05.2017

Costa foi mal aconselhado. A Senhora tem competencia, inteligência e imparcialidade para exercer a responsabilidade dos Serviços.

pub