Política PS consegue acordo com PSD em Almada, mas recusa “situação anormal ou tensa” com CDU

PS consegue acordo com PSD em Almada, mas recusa “situação anormal ou tensa” com CDU

O PS chegou a um acordo com o PSD na Câmara de Almada, atribuindo-lhe pelouros, o que não aconteceu com a CDU, que liderava a autarquia, nem o BE, mas recusa que a situação seja “anormal ou tensa”.
PS consegue acordo com PSD em Almada, mas recusa “situação anormal ou tensa” com CDU
João Miguel Rodrigues/Correio de Manhã
Lusa 04 de novembro de 2017 às 10:35

Em declarações à agência Lusa, este sábado, 4 de Novembro, a presidente eleita da Câmara de Almada nas eleições autárquicas de 1 de Outubro, Inês de Medeiros, explicou que o acordo resulta de negociações tidas desde essa altura com os partidos que também elegeram vereadores – PSD, CDU e BE –, visando a "atribuição de pelouros e responsabilidades na Câmara".

"Dessas negociações, no final só pudemos concluir uma coligação com o PSD", indicou.


De acordo com Inês de Medeiros, durante os "15 dias de negociações com a CDU", partido que liderava o município desde as primeiras eleições autárquicas em 1976, "não foi possível chegar a um acordo".


"Tudo isto aconteceu de forma bastante natural. Às vezes não é possível chegar a acordo, não há aqui nenhuma situação anormal ou mais tensa", observou a autarca socialista.


Situação semelhante aconteceu com o BE, segundo Inês de Medeiros: "Eles não querem assumir pelouros de maior importância porque não querem estar a executar políticas nas quais seriam decisivos, mas informaram estar disponíveis para colaborações futuras".


Ainda assim, notou que este partido "não é decisivo, [já que] só com o BE não se formaria nenhuma maioria".


Inês de Medeiros admitiu, contudo, que "com o desenrolar do mandato eventualmente" poderão existir novas conversações, nomeadamente com a CDU.


"Neste momento, a prioridade é estabilizar o executivo e começar a trabalhar", referiu.


A deputada Inês de Medeiros, do Partido Socialista, conseguiu um dos maiores feitos das eleições autárquicas, vencendo a câmara de Almada à CDU.


O PS vai, contudo, governar a autarquia com um executivo minoritário, já que conseguiu apenas quatro vereadores, os mesmos que o PCP, o PSD elegeu dois e o BE um.


Questionada pela Lusa sobre os pelouros atribuídos ao PSD, Inês de Medeiros apontou que os dois vereadores sociais-democratas ficarão com "a responsabilidade de tudo o que é redes viárias, iluminações públicas, espaços verdes, inovação e plano estratégico ao nível da energia".


Assumirão, ainda, "uma responsabilidade importante que é a presença na administração dos serviços municipalizados de água e saneamento (SMAS).


Além disso, os dois eleitos do PSD ficarão "a tempo inteiro", adiantou a autarca.




A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 1 semana

Moro e voto em Almada. A Inês de Medeiros não conheço qualquer competência como gestora de uma Câmara Municipal. Espero que renuncie. Aos outros elementos da lista PS nem sequer sei quem são e obviamente não faço a menor odeia sobre quais são as suas competências para dirigirem uma Câmara. O PS sempre tratou Almada de uma forma ligeira e indigente. Também não vi as propostas que apresentaram para Almada. Conclusão: não espero grande coisa e Almada, de facto, precisa de uma boa e competente gestão.

comentários mais recentes
É só azia... Há 1 semana

O Jerónimo Tamboril e a famelga lá de Almada pelos vistos estão a custar a digerir a coisa... Isso com um Kompensam vai lá!

JCG Há 1 semana

O PS sempre brincou com Almada despejando por cá uns para-quedistas sem qualquer competência conhecida para dirigir uma Câmara e sem qualquer ligação ao Município. Ainda me lembro de por exemplo o Torres Couto dizer que conhecia Almada porque passava por cima de avião. Agora ganharam a Câmara sem saber como, apenas beneficiando de um desgaste do PCP e de uma onda favorável associada ao PS. Não sei quem são os outros elementos eleitos do PS nem quais são os seus currículos e competências. Almada precisa de uma melhor gestão, mas não me parece que venha da equipa eleita. Não sei se há por aqui alguma sede ou centro de trabalho do PS. Se há, só deve abrir as portas e soprar o pó quando há eleições. Ora. no meu entender, quem se quiser aventurar a dirigir uma Câmara deve trabalhar durante os 4 anos, começando logo no dia das eleições a trabalhar - a conhecer, a mobilizar, a esboçar e depurar medidas - para as próximas e do PS nunca vi nada. São meros recolectores.

Afastaram os piolhosos da CDU! São uns trastes! Há 1 semana

Farto da comunada andamos todos. Agora temos o bloco central com maioria. Espero e desejo boa sorte à Inês Medeiros e q desenvolva Almada como merece. Nos terrenos da Lisnave vai nascer uma manhattan em ponto pequeno! O MST vai até à Costa. Oxalá q tudo se concretize com a força da Inês Medeiros.

Emília Sousa enfiou a família no MST! Viva a gosma Há 1 semana

Os comunistas são como os piolhos e as pulgas! São uns sanguessugas q não fazem nada! Perguntem à Emília de Sousa se não está bem na vida! Consta q até lhe ofereceram um apartamento de luxo junto do Pingo Doce de Almada para autorizar a construção naquele terreno q estava no centro do Laranjeiro!

ver mais comentários