Política PS defende que o essencial é cumprir planos de reestruturação e negócios da Caixa

PS defende que o essencial é cumprir planos de reestruturação e negócios da Caixa

A secretária-geral adjunta do PS considerou este domingo que a questão essencial que se coloca à nova administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) é cumprir os planos de recapitalização e de negócios já aprovados.
PS defende que o essencial é cumprir planos de reestruturação e negócios da Caixa
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 04 de dezembro de 2016 às 15:12

Ana Catarina Mendes falava aos jornalistas no final do XX Congresso do PCP, em Almada, depois de confrontada com as críticas dos comunistas ao elenco escolhido para a nova administração do banco público, mas também ao elevado nível salarial atribuído à equipa liderada pelo ex-ministro Paulo Macedo.

 

A secretária-geral adjunta dos socialistas contrapôs que "a CGD é um banco essencial para a estabilidade e reforço do sistema bancário português", sendo mesmo "o garante das poupanças das famílias e o garante da redinamização da economia portuguesa".

 

"Por isso mesmo, estamos em crer que a nova administração da CGD vai cumprir o plano de recapitalização e de negócios já aprovados", vincou Ana Catarina Mendes.

 

A secretária-geral adjunta do PS disse depois que esses planos de recapitalização e de negócios "são essenciais para garantir que se cumpram os objectivos da CGD enquanto banco público português".




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG 04.12.2016

Não é, seus palhaços, isso não chega. É preciso que a manutenção da CGD faça sentido. É preciso que a CGD não sirva de instrumento de chulos que saca dinheiro aos portuguesesa para engordar uns quantos.
A CGD tem de ter objetivos estratégicos claros: um deles é o de cobertura - cobertura de todo o países com serviços bancários; a CGD tem de chegar a todos os portugueses, e é possível fazê-lo sem sacrificar o equilíbrio de exploração e de rentabilidade; o outro é gerar lucros que no mínimo compensem ou cubram o custo em juros com a dívida pública do dinheiro injetado na CGD.
A CGD não pode continuar a ser a prostituta por conta de uns quantos chulos.

comentários mais recentes
????? 04.12.2016

A lei do menor esforço de alguns comentadores. AD, AC, PM ?! O que significa isso ?

Anónimo 04.12.2016

Gostaria de saber qual a razão que elementos do PS foram contra a escolha de PM como 1ª opção.Segundo o o jornal i, AD foi 2ª escolha, pois AC queria PM.Deviam ter vergonha. De que tinham medo?

JCG 04.12.2016

Não quero que funcionários públicos ou similares ou trabalhadores de empresas públicas tenham condições e regalias laborais inferiores às da generalidades ou média ou padrão dos trabalhadores fora da administração pública, mas também não aceito que sejam superiores.
Como já por aqui escrevi suficientemente, gostava de saber porque razão em 2015 cada trabalhador da CGD custou em média mais de 70 mil euros, quando em bancos mais comparáveis ficou entre os 40 e os 50 mil euros.
A menos que me surpreendam com alguma justificação, creio que é óbvio que tal situação reflete um conluio - quase concertação de malfeitores para se abotoarem à custa do ignorante contribuinte - entre trabalhadores, gestores, sindicatos corruptos e partidos ditos de esquerda.

????? 04.12.2016

Caro JCG, chama chulos a quem ? Pela administração da CGD já passram politicos ou pessoas de confiança do PS, PSD e CDS Que eu saiba. Todos são palhaços e chulos ou só alguns ? Convinha especificar No resto concordo consigo, sendo que a CGD não é um banco como os demais O Estado é o unico acionista

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub