Aviação PS diz que "pouca-vergonha" foi governantes do PSD irem para empresas após privatizações

PS diz que "pouca-vergonha" foi governantes do PSD irem para empresas após privatizações

Carlos César considerou "perverso e uma pouca-vergonha" o que aconteceu durante o governo do PSD, quando antigos membros do executivo, depois das privatizações, foram para empresas como EDP e ANA.
PS diz que "pouca-vergonha" foi governantes do PSD irem para empresas após privatizações
Bruno Simão
Lusa 12 de junho de 2017 às 17:41
"A nomeação de Diogo Lacerda Machado, como representante do accionista público, é um corolário de ter sido ele, justamente, quem representou e actuou em nome do Estado no regresso do capital público à empresa. Está a representar quem antes representou, e muito bem", disse esta segunda-feira o líder da bancada socialista numa declaração à agência Lusa, em resposta às acusações do líder do PSD sobre a nomeação de Diogo Lacerda para a administração da TAP.

Na opinião do líder parlamentar do PS, "grave, perverso e uma pouca-vergonha é o que aconteceu nos tempos de governo do PSD, quando, governantes, após privatizações, foram, por exemplo, nomeados pelos privados para empresas como a EDP e a ANA".

"Isso sim foi uma pouca-vergonha", criticou.

No sábado à noite, em Viseu, o líder do PSD e antigo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou ser "uma pouca-vergonha" o Governo nomear para a administração da TAP Diogo Lacerda Machado, que foi "o mesmo homem que andou a negociar a reversão" da privatização da transportadora.

Já hoje à tarde, o primeiro-ministro, António Costa, recusou-se, em São Paulo, no Brasil, a responder às acusações do presidente do PSD.

Em declarações à agência Lusa, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, considerou que Diogo Lacerda Machado "já deu provas de saber negociar vários dossiês complexos, mas sobretudo saber interpretar bem os interesses públicos", afirmando que "pouca vergonha é Passos Coelho nunca ter explicado aos portugueses porque é que privatizou a TAP pela calada da noite e já com o seu Governo demitido".

Também a líder do BE, Catarina Martins, se pronunciou sobre este assunto durante um discurso na apresentação do candidato bloquista à Câmara do Seixal, onde defendeu que o Governo tem que acabar com "velhos hábitos" na nomeação de administradores para empresas públicas e criticou as declarações de Passos Coelho sobre o assunto, afirmando que este agiu da mesma forma quando estava a chefiar o executivo.

A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Pouca vergonha é o mesmo partido, o vosso, levar para já este país à BANCARROTA. O quarto resgate não vai tardar. Depois queixam se a quem???
Viva a farra.

Este PS tem uma lata do caraças Há 1 semana

Ainda há pouco tempo deram o Banif ao Santander e puseram lá 2 PS,
Agora as rameiras do PS estão a armar-se em virgens puras.
Realmente ... não têm um pingo de vergonha nas fuças!!!

Anónimo Há 1 semana

Deviam é ter vergonha, por mais que se acusem mutuamente mais se afundam no lamaçal da corrupção dos favores pessoais.
Justificar o mal com o mal é mesquinho e falta de pudor ético ...por vezes o silêncio é uma forma de inteligência, e já se viu que não abunda.

Anónimo Há 1 semana

ora deixem-me rir antes que me esqueça.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub