Política PS exige explicações para demissão de Hermínio Loureiro

PS exige explicações para demissão de Hermínio Loureiro

O PS de Oliveira de Azeméis exigiu este sábado que Hermínio Loureiro dê explicações sobre a sua demissão do cargo de presidente da Câmara.
PS exige explicações para demissão de Hermínio Loureiro
Correio da Manhã
Lusa 31 de Dezembro de 2016 às 13:36

O presidente da concelhia socialista, Joaquim Jorge, disse em conferência de imprensa que "Hermínio Loureiro deve explicações e um pedido de desculpas a todos os oliveirenses, em particular aos que confiaram o voto no partido que representam".

 

"Com esta decisão, Hermínio Loureiro é passado, sem que nunca tenha sido presente, nem futuro", acusou o presidente da concelhia do PS, lembrando que, "quando se candidatou pelo PSD, se comprometeu a levar o mandato até ao fim".

 

"Este abandono precoce da presidência da autarquia só veio dar razão ao Partido Socialista, que sempre lamentou o facto de Hermínio Loureiro ser um presidente em part-time, para quem a autarquia serviu apenas como meio de promoção pessoal", acusou.

 

Para o presidente da concelhia do PS essa é a razão por que várias obras e decisões não tenham avançado, com Hermínio Loureiro como presidente, nomeadamente as redes de água e saneamento, de que Oliveira de Azeméis é o "segundo pior concelho do país em cobertura".

 

Joaquim Jorge manifestou ao novo presidente da câmara, Isidro Figueiredo, "total disponibilidade para colaborar", garantindo o PS, "como partido responsável, a estabilidade necessária a que se conclua o ciclo político com dignidade".

 

Recorde-se que, no dia 27 de Dezembro, Hermínio Loureiro (na foto) anunciou um ponto final no cargo de presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, por entender "que é muitas vezes mais importante saber sair da cena política, do que a ela se apresentar".

De acordo com uma declaração transmitida na Câmara Municipal, à qual a Lusa teve acesso, Hermínio Loureiro (PSD), reeleito em 2013 para a presidência da autarquia, disse se tratava da conclusão "da actividade política como dirigente eleito pelos munícipes, transmitindo os destinos do concelho a outras pessoas, igualmente preparadas, no quadro previsto na legislação em vigor".




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Porque é que não perguntam ao Costa. Ele explicou pq saiu da câmara antes do mandato acabar na TVI https://www.facebook.com/1868974503380801/videos/1868978103380441/

Anónimo Há 2 semanas

O PS exige ?Como se está em minoria e mesmo se em maioria,Exige? Estamos em ditadura marxista?Há mts,mts e bons anos que o socialismo foi metido na gaveta e comunicado ao País ,38 anos de atraso.

Anónimo Há 2 semanas

O PS deveria repensar-se pois durante esta terceira republica nunca conseguiu eleger um presidente na vez de pedir explicaçoes q sao obvias.-ver caso de lisboa etc crie um programa apelativo e ganhe o novo desafio em 2017,o resto é conversa de entretimento.

pub