Segurança Social PS junta-se à direita: funcionários devem poder trabalhar além dos 70 anos

PS junta-se à direita: funcionários devem poder trabalhar além dos 70 anos

A recomendação que revoga a idade limite para a aposentação foi publicada esta quinta-feira. Resulta de uma proposta do CDS e teve os votos favoráveis do PSD e do PS. A esquerda votou contra.
PS junta-se à direita: funcionários devem poder trabalhar além dos 70 anos
Bruno Simão/Negócios
Catarina Almeida Pereira 10 de Novembro de 2016 às 09:49

A Assembleia da República recomenda ao Governo que permita que os funcionários públicos possam trabalhar a partir dos 70 anos, revogando este limite legal para a aposentação.

A recomendação publicada esta quinta-feira, 10 de Novembro, em Diário da República, resulta de uma proposta do CDS aprovada com os votos favoráveis do PS e do PSD e a oposição da esquerda.

Actualmente, as pessoas que trabalham do Estado têm obrigatoriamente que se aposentar aos 70 anos, ao contrário do que acontece no sector privado. Foi por exemplo por isso que no mês passado se aposentou João Bilhim, que era presidente da Comissão que organiza os concursos para dirigentes no Estado.

A Assembleia da República resolve  recomendar ao Governo "que equipare o regime do sector público ao regime do sector privado" em "que é permitido, a quem pretender, continuar a trabalhar depois dos 70 anos de idade", lê-se na resolução publicada esta quinta-feira.

A informação disponível na página da Assembleia da República revela que a iniciativa foi do CDS, o que é coerente com o programa apresentado pela coligação, que previa exactamente esta medida.

A votação decorreu em plenário a 21 de Outubro e contou com os votos favoráveis do PSD, PS e CDS-PP e a abstenção do PAN. A esquerda não concorda: BE, PCP e PEV votaram contra.

Idade da reforma a caminho dos 66 anos e 3 meses

A proposta surge numa altura em que, por iniciativa do anterior governo e omissão do actual, a idade legal da reforma deu um salto e vai continuar a aumentar à medida que aumenta a esperança média de vida. Este ano a idade de acesso à pensão sem penalizações é de 66 anos e dois meses. No próximo, será preciso trabalhar mais um mês.

O Governo tem prometido facilitar a vida a quem tem longas carreiras contributivas mas ainda não apresentou uma proposta.

O jornal Público refere esta quinta-feira que tanto o PCP como o Bloco de Esquerda defenderam no seu programa eleitoral a reforma aos 65 anos de idade. Mas também não apresentaram qualquer iniciativa.




A sua opinião40
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Gatunos Há 4 semanas

Com o Ze povinho sempre a fazer o mesmo, que é votar nos mesmos bandos de gatunos que nos desgovernam e parem bancarrotas e os maiores roubos de sempre. mais uma década e a idade de reforma vai passar para os 100 anos de idade.
Nesta nossa Republica de Ladrões quem se atrever criar riqueza ou acumular riqueza, é tratado como se fosse um criminoso como tal há que confiscar através de pesados impostos, as poupanças dos idiotas que se atreveram a fazer muitas poupanças.

comentários mais recentes
pipa Há 3 semanas

pois vamos trabalhar até 100 anos que maravilha ladroes

DantasPt Há 3 semanas

eu concordo desde que continuem a fazer os mesmos descontos, a segurança social está falida e a caixa de aposentações idem, cadaa lugar ocupado por estas pessoas, é mais um desempregado a receber subs do estado.

Anónimo Há 3 semanas


Os ladrões de esquerda

Um governo de ladrões

PS . BE . PCP - são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos FP & CGA.

Carlos Pinto Há 4 semanas

Concordo, se na privada não há limite para trabalhar porque há-de haver na função pública?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub