Justiça PSD acusa Governo de tentar "travestir de tribunais meros balcões de proximidade"

PSD acusa Governo de tentar "travestir de tribunais meros balcões de proximidade"

Carlos Abreu Amorim, deputado social-democrata, pediu ao primeiro-ministro e à ministra da Justiça "que parem com esta farsa eleitoralista com que estão a tentar enganar os portugueses", referindo-se à reabertura de 20 tribunais.
PSD acusa Governo de tentar "travestir de tribunais meros balcões de proximidade"
Bruno Simão
Lusa 04 de janeiro de 2017 às 15:49
O vice-presidente do grupo parlamentar do PSD Carlos Abreu Amorim apelou  esta quarta-feira, 4 de Janeiro, ao executivo socialista para parar com o que considerou ser uma "farsa eleitoralista", referindo-se à reabertura de tribunais.

"O PSD vem apelar ao primeiro-ministro e à ministra da Justiça para que parem com esta farsa eleitoralista com que estão a tentar enganar os portugueses. Não se brinca com a Justiça", afirmou o deputado social-democrata nos passos perdidos do parlamento, vincando a discordância com a hipótese de funcionários camarários poderem tratar de processos judiciais, embora lembrando que se trata de uma reforma global com a qual o PSD "concorda, colaborou e apresentou propostas".

Entretanto, a ministra da Justiça assegurou, em Sintra, que os funcionários municipais destacados para trabalhar nos tribunais que reabriram no interior do país vão apenas desempenhar "funções de apoio meramente administrativo" e sem acesso a processos sigilosos, enquanto o líder do executivo salientou que a reabertura de 20 tribunais, no âmbito da reorganização do mapa judiciário, permitirá ter "a proximidade onde era necessária".

"Julgamos que o Governo teria feito muito melhor em ter esperado por ter condições de funcionamento de verdadeiros tribunais em vez desta manobra que consideramos ser uma farsa eleitoralista - porque tem em vista as próximas eleições autárquicas -, tentando travestir de tribunais meros balcões de proximidade", disse Abreu Amorim.

O parlamentar do PSD acrescentou que o seu partido tem uma "grande preocupação pela forma leviana e precipitada como a reforma do mapa judiciário está neste momento a ser desenvolvida por parte deste Governo".



A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado TinyTino 04.01.2017

E qual é o problema? É uma excelente solução. Deveriam fazer o mesmo com uma quantidade de câmaras municipais que representam pouco milhares de pessoas. Fundiam 2,3 ou 4 concelhos, colocavam uma única câmara e balcões de proximidades. Só o dinheiro que se poupava com vereadores, adjuntos edifícios e quejandos já deixava muito para fazer obra!

comentários mais recentes
Aguenta boy 04.01.2017

azia

Anónimo 04.01.2017

O ano passado foi o ano do moreno,este sera inevitavelmente o ano da preta.Da maneira como a caixota das pensoes engorda.o proximo ano sera o ano do mirolho se la chegarem.A seguir fogem uns para cada lado sem deixarem rasto.fica o hippertenso para falar d sua justica.Nao perdem o jeito do intentona

Anónimo 04.01.2017


Ladrões FP - CGA - - 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


As pensões douradas da CGA são SUBSIDIADAS em 500€, 1000€, 1500€ e mais… POR MÊS.


ESTAS PENSÕES DEVEM TER CORTES IMEDIATOS.


TinyTino 04.01.2017

E qual é o problema? É uma excelente solução. Deveriam fazer o mesmo com uma quantidade de câmaras municipais que representam pouco milhares de pessoas. Fundiam 2,3 ou 4 concelhos, colocavam uma única câmara e balcões de proximidades. Só o dinheiro que se poupava com vereadores, adjuntos edifícios e quejandos já deixava muito para fazer obra!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub