Eleições PSD admite derrota nas autárquicas mas iliba Passos Coelho de responsabilidades

PSD admite derrota nas autárquicas mas iliba Passos Coelho de responsabilidades

O coordenador autárquico do PSD, Carlos Carreiras, reconheceu que o partido “não cumpriu os objectivos” em Lisboa e Porto e assumiu que “não é expectável” que o partido ganhe o maior número de câmaras. Mas rejeita responsabilizar Passos Coelho.
PSD admite derrota nas autárquicas mas iliba Passos Coelho de responsabilidades
Bruno Simões 01 de outubro de 2017 às 21:39

Pouco mais de uma hora depois de terem fechado as urnas em todo o território nacional, o coordenador autárquico do PSD, Carlos Carreiras, assumiu que o partido saiu derrotado das eleições autárquicas que hoje se realizaram. "Dos resultados que se vão conhecendo, não é expectável que tenhamos cumprido o objectivo a que nos tínhamos proposto: ganhar o maior número de câmaras", reconheceu.

 

O caso é especialmente negro no Porto e em Lisboa, concelhos em que o PSD não irá além do terceiro lugar – na capital há ainda a possibilidade de ficar em quarto lugar, atrás da CDU. Carreiras recusou dramatizar. "Não cumpre os objectivos a que nos propusemos num município e noutro, isso é evidente". Mas "o país não é só Lisboa e Porto, há mais 306 municípios", e o partido prefere olhar para o quadro geral de 308 municípios.

 

"Estão a chegar informações que há câmaras que ganhamos ao PS, outras que não cumprimos os objectivos, mas faz parte da democracia, certamente os eleitores escolheram o que era melhor para as suas terras", acrescentou Carreiras, que deve ter sido reeleito para a câmara de Cascais. Sublinhando ainda ser cedo para conclusões, Carreiras disse que o partido vai "aguardar os resultados finais para tirar uma leitura final e objectiva para ver como se posiciona o PSD na cidade de Lisboa".

 

Passos não é responsável pela derrota

 

E quanto à responsabilização do líder do PSD? Carreiras preferiu assumir o papel de pára-raios. "Se há que apurar responsabilidades, é minha a nível nacional e repartida por todas as estruturas concelhias" e candidatos a nível nacional. E Passos Coelho? "Não foi candidato a nenhuma câmara nem nenhuma freguesia, foi candidato a legislativas" e com "uma proposta vencedora".

 

"Não temos nenhuma razão para fazer uma extrapolação de nível local para nível nacional", acrescentou. Confrontado com as palavras de Manuela Ferreira Leite, ex-líder do PSD que disse que Passos não tem condições para continuar, Carreiras disse que é apenas uma opinião e disse que preferia não "fazer recordações de resultados passados".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub