Política PSD atira para PS ónus de apresentar reformas

PSD atira para PS ónus de apresentar reformas

Vice-presidente social-democrata Marco António Costa defende que não cabe ao PSD apresentar reformas. "Se apresentarmos a nossa proposta, o Governo aproveitará para nos atacar", diz em entrevista ao Público.
PSD atira para PS ónus de apresentar reformas
João Miguel Rodrigues/Correio de Manhã
Marta Moitinho Oliveira 18 de maio de 2017 às 12:23
O PSD receia que o Governo desista de fazer as reformas que o país precisa perante o crescimento do PIB registado no primeiro trimestre de 2017, mas defende que não cabe ao PSD apresentar propostas de reforma. Em entrevista ao Público, o vice-presidente social-democrata Marco António Costa explica que se o partido avançasse com as suas propostas o Governo aproveitaria para atacar o PSD.

"Temos as nossas propostas, mas também nos dará o benefício de não sermos ingénuos. Não estamos no Governo. E, se apresentarmos a nossa proposta, o Governo aproveitará para nos atacar", disse na mesma entrevista, explicando que "o Governo tem estado a gerir com um mínimo de impacto possível a governação. Porque tem problemas dentro da aliança política que estabeleceu...".

Marco António Costa lembra o que defendeu o primeiro-ministro quando, na sequência das eleições legislativas de 2015, os partidos mantiveram conversas para uma solução governativa. Questionado sobre se a apresentação de propostas de reforma por parte do PSD não seria uma maneira de mostrar que o PSD tem alternativas, o vice-presidente do partido respondeu: "Vou-lhe responder com uma proposta que o primeiro-ministro usou na fase negocial a seguir às legislativas, quando procurámos construir um Governo com apoio do PS: ele dizia que o ónus da solução estava do nosso lado. Mas onde está o do PS? Onde estão as reformas do PS?"

Na mesma entrevista, Marco António Costa rejeitou que o PSD esteja irritado com os bons resultados da economia no primeiro trimestre e nega que os resultados das autárquicas marcadas para 1 de Outubro sejam um teste à liderança de Passos Coelho. "Ele não vai ser candidato em lado nenhum."

A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

Não acontecem reformas económicas sem despedimentos nem leis reescritas. Todos os países mais desenvolvidos fizeram ou estão a fazer essas reformas. Portugal caiu no imobilismo. A economia mundial está a crescer neste pós-crise. Portugal apanha a boleia, mas ao contrário de países com políticos sérios e visionários, não se prepara para o que vem aí.

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

QUANDO É QUE ESTE VAI PRESO?

Portugal, paraíso da corrupção e da impunidade Há 1 semana

A tua sorte, pulha, é viveres num país, onde a Justiça é um faz-de-conta.
De contrário, pela tua "pegada", na Câmara Municipal de Gaia, estarias já, há muito, a contas com a Justiça-
Tu e o teu comparsa de Partido, Luís Filipe Menezes
Pelo que acima se aduz, será preferível para ti bateres baixo

Anónimo Há 1 semana


Os cortes salariais de 3,5 a 10%, foram impostos pelo PS de Socrates e Costa.

Ao contrário do que os hipócritas de esquerda tentam fazer crer.

????? Há 1 semana

O Marco Antonio Costa não tinha um processo por causa dumas trafulhices na CM de VN de Gaia ? Alguem sabe do ponto da situação ?

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
}
pub