Banca & Finanças PSD contra nacionalização do Novo Banco acusa Governo de desvalorizar activo

PSD contra nacionalização do Novo Banco acusa Governo de desvalorizar activo

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, acusou esta quinta-feira o Governo de estar a desvalorizar o Novo Banco, e reiterou que o partido não defenderá a nacionalização de nenhuma entidade bancária.
PSD contra nacionalização do Novo Banco acusa Governo de desvalorizar activo
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 12 de janeiro de 2017 às 14:16
"O PSD nunca defendeu nem defenderá a nacionalização de uma entidade bancária, é isso que fizemos no passado e é isso que tornaremos a fazer", afirmou Luís Montenegro, em declarações aos jornalistas no final da reunião da bancada social-democrata.

O presidente do grupo parlamentar do PSD acusou ainda o Governo de desrespeitar o parlamento ao não informar os deputados sobre o andamento do processo de venda do Novo Banco, dizendo que o mesmo aconteceu no dossiê da Caixa Geral de Depósitos.

"A informação chega à Assembleia da República apenas e só pelo trabalho dos órgãos de comunicação social, por notícias que só podem ter por fonte o Governo e seus agentes", lamentou, afirmando que a estratégia do executivo, e em particular do ministro das Finanças, tem sido de "confusão total".

"Há poucos dias, o ministro das Finanças [Mário Centeno] veio defender que o banco devia ser vendido, quando o mesmo ministro há alguns meses atrás acenou com a possibilidade de nacionalização ou mesmo de liquidação do banco", salientou.

Para Luís Montenegro, "quem quer vender, como ele diz que quer, não anda a acenar com a possibilidade de nacionalizar ou liquidar, porque só isso retira valor", reiterando uma acusação já lançada pelo PSD de que o Governo tem agido "como um pirómano" no processo do Novo Banco.

"O PSD foi sempre favorável à venda deste activo, era bom para Portugal que o activo não estivesse a ser desvalorizado pela confusão lançada pelas declarações do ministro das finanças", referiu.

Em declarações ao jornal Público, o ex-presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, que já admitiu uma candidatura à liderança do PSD, defendeu uma nacionalização temporária do Novo Banco perante as propostas de compra que têm estado em cima da mesa.

A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 12.01.2017


PS - BE - PCP - e seus votantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

A FP está a roubar os salários dos trabalhadores do privado...

que pagam impostos cada vez mais altos para sustentar os ELEVADOS salários, e as ABSURDAS pensões da FP-CGA.

comentários mais recentes
Rapaz 12.01.2017

Há uma tentativa de manipular a opinião pública no processo do NB e da CGD, pelas elites corruptas deste país! O problema do NB será sempre do consórcio de bancos que assumiram inteiras responsabilidades para que não existisse na altura, a sua resolução ou liquidação, com vantagens evidentes e exclusivas para o sistema financeiro, do qual fazem parte! Agora que temos a esquerda caviar a governar, ( Cambada de tolos incompetentes utópicos e ignorantes, que os banqueiros bem conhecem e dos quais se têm aproveitado ) vão lançando os seus pontas de lança, que se encontram em todos os partidos, para condicionar a solução que antes foi acordada com a banca, mas que a banca não quer pagar! Quanto á ajuda ( Roubo ao povo desfavorecido e incauto que trabalha no privado ) do ESTADO à caixa, é o maior escândalo financeiro do país, que disso ninguém tenha dúvidas! Estejam atentos aos "Miguel de Vasconcelos e Brito".

Anónimo 12.01.2017


Ladrões FP e CGA - SEMPRE A ROUBAR À GRANDE

E não deixa de ser anedótico que o contribuinte que vê a sua reforma cada vez mais longe e mais baixa, ainda seja chamado para pagar as absurdas pensões dos ladrões CGA.

Fica aqui a lista do pilim que os ladrões CGA consomem ao OE (e que todos os contribuintes pagam):


Ano- Receitas CGA/ Trf. OE/ Desp. total

2008 - 2298 / 3396 / 6705

2012 - 2846 / 4214 / 7196

2015 - 4927 / 4601 / 9528 Milhões €


Pordata

Anónimo 12.01.2017


O PAÍS DAS MARAVILHAS (PARA ALGUNS)

Os FP continuam com as 35 horas, salários altos e muitas outras benesses...

enquanto os privados trabalham 40, com salários muito mais baixos, e ainda tem que pagar impostos cada vez mais altos para sustentar os ladrões FP/CGA.

Anónimo 12.01.2017


PS - BE - PCP - e seus votantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

A FP está a roubar os salários dos trabalhadores do privado...

que pagam impostos cada vez mais altos para sustentar os ELEVADOS salários, e as ABSURDAS pensões da FP-CGA.

pub
pub
pub
pub