Política PSD: Crescimento da economia deve-se às reformas do anterior Governo

PSD: Crescimento da economia deve-se às reformas do anterior Governo

O PSD saudou hoje o crescimento de 2,8% da economia portuguesa no primeiro trimestre de 2017 e considerou que se trata de uma recuperação que se deve às reformas realizadas pelo Governo anterior (PSD/CDS).
PSD: Crescimento da economia deve-se às reformas do anterior Governo
Paulo Duarte
Lusa 15 de maio de 2017 às 14:13

"Estamos contentes com a recuperação do PIB [Produto Interno Bruto] neste trimestre que se deve às reformas realizadas pelo anterior Governo, à conjuntura internacional e na União Europeia mais favoráveis", declarou à Lusa a deputada social-democrata Inês Domingos.

 

A deputada do PSD falava após a divulgação dos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) segundo os quais a economia portuguesa cresceu 2,8% no primeiro trimestre de 2017 face ao mesmo período do ano passado e, comparando com o trimestre anterior, cresceu 1%, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Para os sociais-democratas, os valores reflectem "o esforço das empresas e das famílias que levaram a economia para a frente, apesar de o Governo ser inerte e ter revertido reformas".

 

A parlamentar lembrou que, em 2016, o crescimento foi menor do que em 2015, referindo que tal "é inaceitável.

 

"Esperamos que a economia continue a crescer a um ritmo superior a 2% para tentar recuperar uma parte do que foi perdido", disse Inês Domingos.

 

De acordo com a estimativa rápida das contas nacionais trimestrais relativas aos primeiros três meses deste ano, divulgadas hoje pelo INE, o PIB aumentou 2,8% em volume no 1.º trimestre de 2017, em termos homólogos, depois de no trimestre anterior ter registado uma variação homóloga de 2%.

 

Este desempenho trimestral homólogo é, assim, o mais positivo dos últimos 10 anos, já que iguala o crescimento verificado no último trimestre de 2007, período em que a economia portuguesa cresceu também 2,8%.


A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Este ser podia dedicar-se ao standup, tinha futuro, então em Fevereiro quando os números eram pouco favoráveis a culpa era do actual governo, agora que já são interessantes já são por causa do governo anterior...É só rir...Passos, amigo, porque não te calas? Fazias um bom serviço ao PSD e ao país...

Ricardo Há 1 semana

E os 25% da população que vive abaixo do limiar de pobreza, também é o resultado das reformas do anterior governo?

LADRÃO QUE É UMA VEZ É SEMPRE ! ! Há 1 semana

Entre outras pulhices com que o vígaro PASSOS COELHO nos iria brindar, se fosse governo, nunca nos esqueçamos - PORQUE A FALTA DE MEMÓRIA É MÁ CONSELHEIRA - que o ladrão de dinheiros públicos da TECNOFORMA (PASSOS), tinha já prometido a Bruxelas o corte de mais 600 milhões nos salários e pensões.

Queres medidas fortes? Há 1 semana

Força com quem? Com os fracos? E porquê que V. Exa acha que são precisas medida fortes? Porque sim? O país está a crescer, saia da frente que está a atrapalhar.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub