Política PSD diz que "indigno é não ter chegado um cêntimo de dinheiro público" às populações afectadas pelos incêndios

PSD diz que "indigno é não ter chegado um cêntimo de dinheiro público" às populações afectadas pelos incêndios

O PSD devolveu hoje ao Governo as acusações de atitudes indignas na polémica em torno da lista de mortos nos incêndios de Pedrógão Grande e avisou que este caso não está encerrado.
PSD diz que "indigno é não ter chegado um cêntimo de dinheiro público" às populações afectadas pelos incêndios
Miguel Baltazar
Lusa 27 de julho de 2017 às 13:40

Em declarações aos jornalistas, no parlamento, Carlos Abreu Amorim, vice-presidente da bancada do PSD, utilizou a mesma palavra -- indigno - usada pelo executivo para dizer que "indigno é não ter chegado, até ao momento, um cêntimo de dinheiro público" e de donativos às populações afectadas pelos incêndios de Junho na região centro.

 

Como é indigno, repetiu, que o Governo tenha adiado para Setembro a aprovação de um projecto de lei do PSD, que tinha o apoio do PCP e do BE, que criava "um mecanismo urgente extrajudicial" para acelerar a reparação de danos às famílias dos mortos e dos feridos.

 

O primeiro-ministro, António Costa, considerou ontem "absolutamente lamentável" o que aconteceu esta semana em termos de especulação e de aproveitamento político relativamente ao número de mortos na tragédia do incêndio de Pedrógão Grande.

 

"Foi absolutamente lamentável o que aconteceu esta semana em termos de especulação e em termos de aproveitamento político", disse António Costa aos jornalistas depois de mais de uma hora e meia de reunião na Autoridade Nacional de Protecção Civil, em Carnaxide, para receber informação actualizada sobre os incêndios em Portugal. Para o primeiro-ministro, a acusação feita ao Governo de estar a esconder o número de vítimas da tragédia de Pedrógão Grande foi das "mais parvas" que já viu.

 

Carlos Abreu Amorim criticou a lentidão na divulgação da lista de mortos - que só aconteceu na terça-feira - e disse que foi "graças à pressão do PSD" e também da comunicação social que isso aconteceu.

 

O deputado do PSD deixou ainda o aviso de que "o caso" não está encerrado, com a divulgação da lista: "Os casos em democracia nunca estão encerrados."

 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 27.07.2017

PSD diz que "indigno é não ter chegado um cêntimo de dinheiro público" às populações afectadas pelos incêndios

E AINDA HÁ O FACTO DO ANTONIO COSTA IR MUITAS VEZES Á CASA DE BANHO!

PORQUE NÃO PERGUNTA O PSD, O QUE É FEITO DOS 60 E TAL DETIDOS SÓ ESTE ANO POR SUSPEITAD DE FOGO-POSTO?

comentários mais recentes
Apertem com a geringonça... 27.07.2017

Vocês são oposição cumpram o vosso dever.
Fiscalizar a geringonça, porque os cobardes atacam sempre em matilha, e sempre segundo a voz do DONO.
A proporção é sempre 3 contra 1, ou melhor 1,5.
O CDS é a direitinha politicamente correta, só às vezes se pode contar com ele, vale 0,5...

uma democracia nojenta e nauseabunda 27.07.2017

O Maior Escândalo da Democracia Portuguesa desde o 25 de Abril de 1974. Deu-se à União Europeia o número falso de 64 vítimas mortais da tragédia de Pedrógão Grande para não se perder o apoio comunitário, se este número fosse superior deixava de ter a classificação de "calamidade pública".

Anónimo 27.07.2017

PSD diz que "indigno é não ter chegado um cêntimo de dinheiro público" às populações afectadas pelos incêndios

E AINDA HÁ O FACTO DO ANTONIO COSTA IR MUITAS VEZES Á CASA DE BANHO!

PORQUE NÃO PERGUNTA O PSD, O QUE É FEITO DOS 60 E TAL DETIDOS SÓ ESTE ANO POR SUSPEITAD DE FOGO-POSTO?

Anónimo 27.07.2017

Dinheiro público "rápido" só nas negociatas que a direita promove.

ver mais comentários
pub