Política PSD e CDS-PP do Porto abrem portas para possível coligação nas autárquicas

PSD e CDS-PP do Porto abrem portas para possível coligação nas autárquicas

Os presidentes das distritais do PSD e do CDS-PP do Porto abriram este sábado as portas para uma possível coligação política para as eleições autárquicas 2017 no concelho do Porto.
PSD e CDS-PP do Porto abrem portas para possível coligação nas autárquicas
Lusa 29 de Outubro de 2016 às 15:27

"Está nos meus horizontes, futuramente, a concelhia do Porto celebrar um acordo com a concelhia do CDS-PP do Porto", declarou aos jornalistas Bragança Fernandes, presidente da Distrital do PSD/Porto, no final de uma conferência de imprensa para assinar, com o seu homólogo do CDS-PP, Álvaro Castello-Branco, um "Acordo de princípio para o Estabelecimento de coligações eleitorais autárquicas no distrito do Porto".

Bragança Fernandes garantiu que ia fazer "todos os possíveis" para que o PSD, independente, ou em coligação com o CDS-PP, onde concorresse fosse ganhador.

"O caminho faz-se caminhando. Estamos a um ano das eleições e ainda muita água vai correr debaixo das pontes", continuou, deixando bem claro que "quer ganhar a Câmara do Porto" e as "câmaras que puder".

O presidente da distrital do CDS-PP do Porto, Álvaro Castello-Branco, disse aos jornalistas, por duas vezes, que há 12 anos, com a presidência de Rui Rio, fizeram uma coligação com o PSD, e que há quatro anos, depois de sentirem "o que a cidade queria" tomaram a decisão de apoiar Rui Moreira.

"Neste momento o CDS procurará o caminho que entende que é o sentir da cidade do Porto. Nós há quatro anos tivemos a capacidade, como tivemos há 12 anos juntamente com o PSD, de sentirmos a cidade e de sentirmos o que é que a cidade queria. Espero que não vamos perder esse dom. Quando tivermos esse sentimento, vamos tomar a nossa decisão", explicou Álvaro Castello-Branco.

Para as próximas eleições autárquicas, Álvaro Castello-Branco não fecha a porta a uma possível coligação no Porto, até porque, asseverou - "nunca falei sobre esta questão com o Rui Moreira e também não sei o que é que ele pensa em relação ao futuro" -, defendendo, no entanto a estratégia de se voltar a "sentir a cidade" e só depois tomar uma decisão.

"Estamos ainda há um ano das eleições, tenho que falar com os nossos vereadores, neste momento e infelizmente agora só um, (…) e portanto, teremos de todos em conjunto analisar o nosso projecto para a cidade daqui a quatro anos e depois ver qual é a melhor maneira de levarmos a bom porto (…), o nosso projecto".

Nos corredores da sede do PSD do Porto o nome que a Lusa mais ouviu hoje que poderia facilitar a coligação do partido com o CDS-PP para a Câmara do Porto foi o do social-democrata Rui Rio, ex-presidente da Câmara da cidade imediatamente antes de Rui Moreira ter sido eleito a 29 de Setembro de 2013.

"Se o Rui Rio avançar para a Câmara do Porto, o CDS-PP vai apoiar o PSD na coligação", referiu um social-democrata.

O Acordo de princípio para o estabelecimento de coligações eleitorais autárquicas no distrito do Porto, que foi hoje assinado, prevê a criação de uma Comissão Coordenadora das Coligações (CCC) para "acompanhar, apoiar e dirimir qualquer questão decorrente da operacionalização do acordo".

Pelo PSD a comissão é constituída por Adriano Moreira, José Inácio Ribeiro, José Manuel Soares e Paulo Miguel Santos. Pelo CDS-PP, a lista compõe-se por Alexandre Teixeira, Cecília Meireles, Fernando Pereira e Vítor Carvalho.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub