Política PSD: Eleições directas a 13 de Janeiro, congresso de 16 a 18 de Fevereiro

PSD: Eleições directas a 13 de Janeiro, congresso de 16 a 18 de Fevereiro

Depois da indisponibilidade de Pedro Passos Coelho para se recandidatar, os sociais democratas escolhem o seu futuro líder a 13 de Janeiro. O congresso será cerca de um mês depois.
PSD: Eleições directas a 13 de Janeiro, congresso de 16 a 18 de Fevereiro
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 09 de outubro de 2017 às 23:21
O conselho nacional do PSD escolheu o dia 13 de Janeiro para a realização de eleições directas que deverão escolher o novo líder dos sociais-democratas, depois da indisponibilidade manifestada por Pedro Passos Coelho para se recandidatar ao cargo.

A escolha da data, tomada esta segunda-feira, 9 de Outubro, coloca o congresso do partido a realizar-se entre 16 e 18 de Fevereiro. 

O anúncio foi feito pelo secretário-geral do PSD, José Matos Rosa, no final do Conselho Nacional do partido, segundo o qual a proposta foi aprovada "por esmagadora maioria," segundo a Lusa.

Em cima da mesa, estava outra proposta que previa diretas a 9 de Dezembro e congresso em Janeiro.

O antigo presidente do partido, Pedro Santana Lopes, e o ex-presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, perfilam-se para já como candidatos à liderança laranja.

Santana Lopes, que também foi autarca de Lisboa, poderá apresentar já esta terça-feira a sua candidatura, segundo o jornal Público. A acontecer, será uma estratégia de antecipação em relação a Rio, que se lançará publicamente na próxima quarta-feira, num evento a decorrer em Aveiro.

Pelo caminho na última semana foram ficando potenciais candidatos à liderança, como Luís Montenegro, Paulo Rangel, Marques Mendes ou Pedro Duarte.

André Ventura, que concorreu pelo PSD à Câmara de Loures, admitiu fazer frente a Rio se não surgisse outro adversário.

(Notícia actualizada às 23:30 com mais informação)



Saber mais e Alertas
pub