PSD apresenta propostas de crescimento que o PS vê como "oportunismo político"
09 Maio 2012, 16:23 por Bruno Simões | brunosimoes@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
0
Bancada social-democrata apresentou um projecto de resolução que faz nove recomendações, ao Governo e à Comissão Europeia, para estimular o crescimento e o emprego. O PS lamenta que a maioria tenha chumbado as suas propostas iniciais.
O diploma do PSD abre a porta à participação do PS, sendo descrito pelo líder parlamentar Luís Montenegro como “uma segunda oportunidade de construir um texto que possa ser iniciativa conjunta dos dois partidos”.

Entre as várias recomendações está a promoção de mecanismos de combate ao desemprego jovem, a possibilidade de o Banco Europeu de Investimentos ser envolvido no financiamento de projectos que criem emprego, ou um debate nacional sobre crescimento económico e emprego sustentável. O líder da bancada do PS, Carlos Zorrinho, lamentou a falta de propostas concretas no diploma do Governo.

“Tal como está, a vossa resolução é uma mistificação, é um faz de conta”, criticou, manifestando alguma satisfação, contudo, pela “abertura para passar dessa mistificação a qualquer coisa de concreta”. Recorde-se que, na votação do Tratado Orçamental, que foi aprovado com os votos da maioria e do PS, a proposta adicional dos socialistas, que continha propostas para o crescimento, foi chumbada pela maioria.

Mais tarde, o deputado Vitalino Canas disse que “esta proposta é uma mera peça de oportunismo político”, apenas apresentada de pois de a bancada social-democrata ter “percebido que é nesse sentido que vão os ventos da Europa”, vindo “apressada e oportunisticamente tentar colocar-se na fotografia”. Porém, “fá-lo com boa dose de retórica politica hipócrita”.

“São medidas vazias de conteúdo, inócuas. Não terão o nosso acordo quanto a esse método”. O deputado socialista descreveu, de forma crítica, as propostas do PSD: “ficamos a saber que as medidas que o PSD propõe são: promover duas reuniões em Portugal, acompanhar os trabalhos das instituições europeias, recomendar que seja reconhecida a relevância de um mecanismo que a Assembleia da República já aprovou”.

O deputado comunista Honório Novo acusou a proposta de ser “uma verdadeira manobra de diversão”. Bloco de Esquerda e Verdes criticaram o projecto do PSD, que não será hoje votado. “Não o vamos sujeitar a votação no final do debate, mas propor que nas próximas duas semanas ele possa ser alvo de uma discussão profunda na Comissão dos Assuntos Europeus”, explicou Luís Montenegro.
Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags:
alertasPor palavra-chave: