Política PSD e PS chumbam proposta do PCP para limitar remunerações dos gestores públicos e privados

PSD e PS chumbam proposta do PCP para limitar remunerações dos gestores públicos e privados

PSD e PS chumbaram esta quarta-feira uma proposta do PCP para limitar as remunerações dos gestores públicos e privados, limitando-as a 90% dos salários do Presidente da República.
PSD e PS chumbam proposta do PCP para limitar remunerações dos gestores públicos e privados
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 19 de Outubro de 2016 às 16:11

A proposta, na especialidade, foi votada na comissão de Orçamento e Finanças, recebendo os votos favoráveis do BE e do CDS-PP além do proponente, o PCP, disse à Lusa o deputado comunista Miguel Tiago.

 

Na sequência desta votação, o PS, através do deputado João Paulo Correia, acusou o PSD de "desnorte, incoerência e demagogia" por ter votado ao lado dos socialistas hoje, depois de na terça-feira perante o ministro das Finanças ter protestado contra o actual modelo remuneratório da Caixa Geral de Depósitos.

 

O deputado do PSD António Leitão Amaro disse à Lusa que os sociais-democratas apresentarão uma proposta autónoma sobre a matéria e rejeitou as acusações.

 

"Não é aceitável dizer-se que, por sermos contra a proposta do PCP, estamos a favor do que o PS defende para os administradores da Caixa", afirmou Leitão Amaro, sublinhando que os sociais-democratas defendem a lei que vigorava anteriormente e que impunha limitações salariais.

 

PSD e CDS-PP chegaram a propor a cessão de vigência do estatuto dos gestores públicos, que foi chumbada pela maioria de esquerda em plenário.

 

O CDS-PP, que votou a favor da proposta do PCP de limitação dos administradores a 90% do salário do Presidente da República, considerou que a votação foi uma "oportunidade perdida para os gestores da Caixa voltarem a ter regras na sua actuação e limites nas suas remunerações".

 

A deputada centrista Cecília Meireles considerou, em declarações aos jornalistas, que a votação hoje em comissão "não foi um episódio feliz, e na prática, quer dizer que as coisas vão continuar como estão" para os administradores do banco público.

 

O deputado do PS João Paulo Correia reiterou que as remunerações dos administradores da Caixa estão na média das práticas dos quatro bancos portugueses que estão sob alçada do Banco Central Europeu (BCE).

 

"Quem analisar os vencimentos dos administradores dos quatro bancos que estão sob alçada do BCE - BCP, BPI, a CGD e Novo Banco - irão verificar que o modelo de vencimentos que actualmente está em vigor para a Caixa Geral de Depósitos não é o modelo que apresenta os maiores valores, está na média desses quatro bancos", declarou aos jornalistas João Paulo Correia.




A sua opinião47
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado AVerVamos Há 3 semanas

1-Limitar o salário dos gestores públicos, tendo por base o do PR- 100% de acordo.
2-Limitar o salário dos gestores privados. 100% em desacordo. Cada um que efetue a gestão que bem entender..Mas que os gestores privados deviam estar limitados, a um coeficiente da média salarial praticada na sua empresa, 100 % de acordo!!

comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 2 semanas

Estes partideiros só se entendem mesmo relativamente ao IMI dos próprios e benesses para deputados e partidecos...

matita42 Há 3 semanas

A solução mais aconselhada, em meus critério, seria fazer o que se faz noutros países, taxar mais somais altos vencimentos.
Ouvi falar que nalguns países se chega aos 80%. Parece-me que assim se resolvia o. Problema pela raiz. As pensões deviam seguir o mesmo critério.

hercules Há 3 semanas

É o preço a pagar pela democracia mas para se governar, tem de ser com 'ditadura'. É impossível ter justiça com esta corja de 'mafiosos' que em vez do país, defendem os seus interesses. Os partidos do arco existem para distribuir o dinheiro vivo pelos deles e não para ajudarem os portugueses.

Caro Fernando Cardoso conta comigo Há 3 semanas

Isto vai ter que ir à bruta, chega de palavrinhas de ordem.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub