União Europeia Puigdemont insiste: Declaração de independência vai acontecer

Puigdemont insiste: Declaração de independência vai acontecer

O presidente do governo catalão disse que a lei do referendo prevê a declaração de independência como consequência da validação popular nas urnas. E que aplicará o que a lei diz.
Puigdemont insiste: Declaração de independência vai acontecer
Reuters
Negócios com Reuters 09 de outubro de 2017 às 00:31
O presidente do governo catalão assegurou este domingo, 8 de Outubro, que a lei do referendo à independência daquela região será aplicada, o que na prática resultará na declaração de independência da Catalunha.

"A declaração de independência - não lhe chamamos uma declaração unilateral de independência - está prevista na lei do referendo como uma aplicação dos resultados. Aplicaremos o que a lei diz," afirmou Carles Puigdemont à estação de televisão catalã TV3.

A lei do referendo que o governante agora promete aplicar prevê a declaração de independência caso a maioria dos votantes se exprima a favor dessa possibilidade. O governo catalão sustenta que mais de 90% votaram neste sentido a 1 de Outubro, enquanto as autoridades espanholas consideraram a consulta ilegal, estimando que só 43% dos catalães terão ido às urnas. 

"O que está a passar-se na Catalunha é real, goste-se ou não. São milhões de pessoas que votaram, que querem decidir, temos de falar disto. De que acham que falaremos? O que pensam que move as pessoas? As pessoas não se mobilizam e fazem frente à violência policial por uma reforma do modelo de financiamento. Sejamos honestos. Temos de falar da Catalunha," afirmou Puigdemont citado pelo El País.

Estava previsto que o presidente do governo comparecesse esta segunda-feira no parlamento catalão para fazer a sua avaliação dos resultados do referendo, mas o Tribunal Constitucional impediu a reunião a pedido do Partido Socialista da Catalunha.

Agora, o presidente do governo irá no dia seguinte, terça-feira, comparecer perante os deputados para "informar sobre a situação política actual", um momento em que se espera que possa declarar formalmente a independência da região. 

Este domingo, centenas de milhares de manifestantes reuniram-se no centro de Barcelona para defender a constituição e a unidade de Espanha, reclamando a manutenção da Catalunha como parte integrante do país.



A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ccc 09.10.2017

Um golpista que quer transformar uma região próspera na sua coutada privada! Um aprendiz de Hugo Chavez e a garota dos facebook's sem nada que fazer vai na cantiga!

Anónimo 09.10.2017

A Catalunha vai ser um estado soberano e por isso teremos de respeitar a soberania e a independência da Republica da Catalunha!!

SALAZAR 09.10.2017

NUNCA FOI, NÃO É, NEM NUNCA SERÁ POSSÍVEL DIALOGAR COM MADRID. FORÇA CATALUNHA, CONTRA TUDO E CONTRA TODOS. CONTRA A UE QUE ASSOBIA PARA O LADO, CONTRA O JORNALISMO FACCIOSO (BASTA VER O JORNAL ECONÓMICO), ETC.

Anónimo 09.10.2017

Os catalães querem ser uma republica. E republica é uma porcaria. De resto sou a favor da independência eles não são espanhóis.

ver mais comentários
pub