Mundo Putin acredita que Trump vai escolher a via diplomática e evitar um conflito com Pyongyang

Putin acredita que Trump vai escolher a via diplomática e evitar um conflito com Pyongyang

O presidente russo diz que a situação não vai chegar "tão longe como um conflito em larga escala", especialmente com o uso de armas nucleares. China e UE apoiam reforço das sanções contra a Coreia do Norte.
Putin acredita que Trump vai escolher a via diplomática e evitar um conflito com Pyongyang
Reuters
Rita Faria 07 de setembro de 2017 às 10:37

O presidente russo Vladimir Putin, e o seu homólogo sul-coreano Moon Jae-in defenderam esta quinta-feira, 7 de Setembro, que a crise relacionada com a Coreia do Norte não deverá escalar para um conflito de larga escala envolvendo armas nucleares.

 

Num fórum económico em Vladivostok, na Rússia, Putin, que discursava ao lado dos presidentes da Coreia do Sul e do Japão, mostrou-se optimista de que Trump quer evitar um conflito de maiores proporções com o regime de Pyongyang, devendo optar pela via diplomática.

 

"Estou certo de que as coisas não vão chegar tão longe como um conflito em larga escala, especialmente com o uso de armas de destruição massiva", afirmou Putin, citado pela Reuters. "Todos os lados têm senso comum e compreendem as suas responsabilidades. Podemos resolver este problema por meios diplomáticos".

 

Garantindo que Seul concorda com os Estados Unidos que o diálogo e a negociação são a melhor forma de pôr fim à tensão, Moon acrescentou que "com certeza não haverá uma guerra na península coreana novamente".

 

Os Estados Unidos pretendem que o Conselho de Segurança das Nações Unidas reforce as sanções sobre a Coreia do Norte e imponha um embargo ao petróleo fornecido ao país.

 

Enquanto a União Europeia e a China já deram sinais de apoio ao reforço das sanções, Putin não deu qualquer indicação sobre a posição da Rússia.

 

Esta quinta-feira, a alta representante da UE para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Federica Mogherini, sublinhou que são necessárias mais medidas para aumentar a pressão sobre o regime de Pyongyang.

 

"Gostaria de propor aos ministros hoje que se fortalecesse a pressão económica sobre a Coreia do Norte, apoiando uma nova resolução do Conselho de Segurança da ONU com medidas económicas mais duras e trabalhando com outros parceiros do mundo para garantir que todos implementam na íntegra as medidas já decididas", afirmou a responsável em declarações aos jornalistas, antes de se reunir com os ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros da UE, na capital da Estónia.

 

Também a China garantiu hoje que apoia a decisão de reforçar as sanções, ainda que estas sejam apenas metade da solução, devendo ser combinadas com diálogo e negociação.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Eles todos têm de se preocupar é com Koreano esse é que têm de segurar porque os USA sabem o que são as armas nucleares.

grande china? fodasse Há 2 semanas

Realmente o território é grande apesar de ser habitada por uma sub espécie, enfim. Grande? ahahahahahahahhaahahhahaha A China que se assuma e se está do lado da Coreia do Norte é limpar esses amarelos também.

Chega de conversa Há 2 semanas

Bomba para cima da CN, estou todos os dias pronto para morrer. Matem esses cabrões da CN TODOS. Nuclear para cima deles.

fcj Há 2 semanas

Claro! Os EEUU deixam de ameaçar a Coreia do Norte junto às suas fronteiras - como vem fazendo desde os anos 50 do último século -e este estado asiático paralisa o seu programa nuclear e passa a investir no desenvolvimento produtivo a exemplo da grande China!!! EEUU polícia do Mundo? Isso acabou!!!

pub
pub
pub
pub