Mundo Putin confessa-se "chocado" com a "brutalidade e cinismo" do ataque em Berlim

Putin confessa-se "chocado" com a "brutalidade e cinismo" do ataque em Berlim

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse hoje ter ficado "chocado" com a "brutalidade e o cinismo" do que se pensa ser um atentado terrorista num mercado de natal em Berlim.
Putin confessa-se "chocado" com a "brutalidade e cinismo" do ataque em Berlim
Reuters
Lusa 20 de dezembro de 2016 às 10:04

"Este crime cometido contra civis pacíficos choca pela sua brutalidade e cinismo", declarou Putin numa mensagem de condolências enviada aos líderes alemães e divulgada pelo Kremlin.

 

A polícia de Berlim anunciou hoje que está a tratar como "provável atentado terrorista" o caso do camião que irrompeu contra uma multidão num mercado de natal da capital alemã, causando pelo menos 12 mortos e dezenas de feridos.

 

A polícia informou numa mensagem publicada na rede social Twitter que estava a investigar o "provável atentado terrorista" ocorrido na noite de segunda-feira.

 

"Os nossos investigadores assumem que o camião foi intencionalmente conduzido contra a multidão no mercado de Natal", disse a polícia.

 

Um suspeito, presumivelmente condutor do camião, está a ser interrogado.

 

A polícia de Berlim disse que o camião, com matrícula polaca e carregado com vigas de aço, poderá ter sido roubado de uma obra na Polónia.

 

O condutor do camião que atropelou, na segunda-feira, dezenas de pessoas num mercado de Natal em Berlim, e que provocou 48 feridos além dos 12 mortos, entrou na Alemanha como refugiado, sendo provavelmente de origem paquistanesa, refere o jornal "Die Welt".

 

O segundo ocupante do camião, de nacionalidade polaca, segundo o jornal "Bild", morreu no local do incidente e está entre as doze vítimas mortais.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 20.12.2016

Os politicos europeus continuam sem se entender e a dormir. Só vão acordar quando lhes acontecer igual ao sucedido do infeliz embaixador da Russia na Turquia.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub