Américas Putin confirma expulsão de 755 diplomatas dos Estados Unidos

Putin confirma expulsão de 755 diplomatas dos Estados Unidos

A saída dos funcionários diplomáticos norte-americanos está aprazada para dentro de um mês, depois de na semana passada o Congresso norte-americano ter aprovado uma lei que expande as sanções a Moscovo.
Putin confirma expulsão de 755 diplomatas dos Estados Unidos
Vladimir Putin com Donald Trump, no primeiro encontro oficial entre os dois, no âmbito do G20
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 30 de julho de 2017 às 19:58

O presidente russo confirmou, com efeitos a 1 de Setembro, a expulsão do território de 755 diplomatas americanos, depois da aprovação de novas sanções a Moscovo por parte dos Estados Unidos.


Numa entrevista este domingo, 30 de Julho, ao canal de televisão Rossiya 1, Vladimir Putin considerou – citado pelo The New York Times – que esgotou a paciência com os Estados Unidos no que diz respeito à expectativa de melhores relações com o país.


"Esperámos por muito tempo que talvez algo mudasse para melhor, tivemos essa esperança de que a situação mudasse de alguma forma mas, tendo tudo em conta, se houver mudança não será em breve. Decidi que é tempo de mostrarmos que não deixaremos nada por responder," afirmou Putin, citado pela agência noticiosa Interfax.

Em causa as sanções agravadas depois das primeiras conclusões das investigações apontarem para a tentativa, por parte de responsáveis russos, de condicionar o resultado das eleições presidenciais norte-americanas e ainda a contestada anexação da Crimeia por parte da Federação Russa em 2014.

"O lado americano tomou uma decisão - que, é importante notar, não foi provocada por ninguém -, para piorar as relações Rússia-Estados Unidos. [Ela inclui] restrições ilegais, tentativas de influenciar outros estados do mundo incluindo os nossos aliados que estão interessados em desenvolver e manter relações com a Rússia," concretizou Putin, citado pela estação de televisão Russia Today (RT).


As expulsões já tinham sido anunciadas na sexta-feira, mas esta foi a primeira vez que Vladimir Putin se lhes referiu abertamente, confirmando o número elevado de pessoal diplomático que terá de abandonar território russo dentro de um mês. Segundo a RT, com a medida pretende-se que o número de diplomatas norte-americanos em território russo seja semelhante ao de diplomatas russos nos EUA.

Aquela estação de televisão contabiliza em mais de 1.200 o número de funcionários norte-americanos em território russo, passando assim a ter um efectivo de 455 pessoas depois deste corte. A Reuters, citando uma fonte não identificada do departamento de Estado, estima em cerca de 1.100 o número de trabalhadores nas representações diplomáticas russas, incluindo trabalhadores com nacionalidades norte-americana e russa.

(Notícia actualizada às 20:37 com mais informação)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ESTA SEMANA BCP A 0.30 Há 3 semanas


NA SEXTA FEIRA nem picasso teria feito melhor DEPOIS DE LUCROS FANTASTICOS e SUBIDAS DE PRICE TARGETS conseguiram derrubar o MILENIUM BCP 5% foi uma VERDADEIRA OBRA DE ARTE FEITA POR VERDADEIROS ARTISTAS mas a CMVM já os CERCOU

pub
pub
pub
pub