Mundo Qatar não encontra "justificação legítima" para corte de relações de quatro países

Qatar não encontra "justificação legítima" para corte de relações de quatro países

O ministério dos Negócios Estrangeiros do Qatar afirmou hoje "não haver uma justificação legítima" para o rompimento de relações diplomáticas anunciado por parte da Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egipto.
Qatar não encontra "justificação legítima" para corte de relações de quatro países
Lusa 05 de junho de 2017 às 09:34

Estas medidas são "injustificadas" e "sem fundamento", reagiu o ministério dos Negócios Estrangeiros do Qatar, em comunicado, considerando que têm um "objectivo claro: colocar o Estado [do Qatar] sob tutela, o que constitui uma violação da sua soberania" e é "totalmente inaceitável".

 

Os quatro países árabes anunciaram hoje, num movimento sem precedentes, o corte de relações diplomáticas com o Qatar, acusando-o de desestabilizar a região e de apoiar o terrorismo, incluindo o grupo autoproclamado Estado Islâmico (EI).

 

Manifestando "o seu profundo lamento e surpresa", a diplomacia do Qatar denunciou uma "campanha hostil, fundamentada em calúnias (...) "testemunhando uma premeditação para prejudicar" o país.

 

O Qatar, membro do Conselho de Cooperação do Golfo, "respeita a soberania dos outros Estados, não interfere nos assuntos dos outros, além de que luta contra o terrorismo e o extremismo", acrescentou o ministério dos Negócios Estrangeiros.

 

O Conselho de Cooperação do Golfo junta, além do Qatar, a Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Omã.

 

O Qatar vai "tomar as medidas necessárias para travar tentativas de afectar a sua população e a sua economia", segundo o mesmo comunicado.

 

A diplomacia referia-se aos esperados impactos decorrentes do encerramento das fronteiras terrestres e marítimas, e do espaço aéreo pelos seus três vizinhos.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Hipócrates dos Falcões. 05.06.2017

Os do 11 de Setembro de que País eram ?

pub
pub
pub
pub