Economia Quatro casos de "legionella" no hospital CUF Descobertas

Quatro casos de "legionella" no hospital CUF Descobertas

Quatro casos de doença dos legionários foram detetados no Hospital CUF Descobertas, em Lisboa, anunciou hoje a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas. "Todos os doentes são mulheres e todas se encontram estáveis", adianta Graça Freitas num comunicado publicado no site da DGS.
Quatro casos de "legionella" no hospital CUF Descobertas
Graça Freitas, directora-geral de Saúde.
Paulo Calado
Negócios com Lusa 28 de janeiro de 2018 às 15:03
As autoridades de saúde, em articulação com o conselho de administração do Hospital CUF Descobertas e em colaboração com o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge "iniciaram a necessária intervenção junto do Hospital", estando a ser aplicadas as medidas necessárias para interromper a transmissão, adianta o comunicado da DGS.

Segundo Graça Freitas, a intervenção das autoridades de saúde visa assegurar "o diagnóstico e tratamento dos doentes", "o reforço da vigilância epidemiológica" e da "vigilância ambiental" e a "implementação das medidas necessárias para interromper a transmissão".

"As medidas enunciadas estão já a ser aplicadas", vinca a directora-geral da Saúde no comunicado, adiantando que "as entidades envolvidas continuam a acompanhar a evolução da situação e a Direcção-Geral da Saúde actualizará a informação sempre que necessário".

Num comunicado citado por vários meios de comunicação, o Hospital Cuf Descobertas diz  que reportou "de imediato" os casos à DGS, acrescentando que dispões de "procedimentos de controlo epidemiológico e de segurança muito rigorosos que foram agora reforçados de forma preventiva".

"O acompanhamento da situação está a ser feito em estreita articulação com as autoridades de saúde, estando a ser dada prioridade ao tratamento dos doentes, que se encontram estáveis e com prognóstico positivo", acrescenta a unidade do grupo José de Mello Saúde.


Um surto de "legionella" com origem no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, infectou no passado mês de Novembro mais de 50 pessoas e fez seis vítimas mortais.


A bactéria "legionella" é responsável pela doença dos legionários, uma forma de pneumonia grave que se inicia habitualmente com tosse seca, febre, arrepios, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade respiratória, podendo também surgir dor abdominal e diarreia. A incubação da doença tem um período de cinco a seis dias depois da infecção, podendo ir até 10 dias.

A infecção pode ser contraída por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água ou por aspiração de água contaminada. Apesar de grave, a infecção tem tratamento efectivo.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Olha os privados também fizeam "cativações". ahahaha

pertinaz Há 3 semanas

É O QUE DÁ POUPAR ONDE NÃO SE DEVE

pub