Europa Rajoy avisa que Puigdemont será "único responsável pela aplicação da Constituição"

Rajoy avisa que Puigdemont será "único responsável pela aplicação da Constituição"

O chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, advertiu hoje o presidente do governo catalão que ele será "o único responsável pela aplicação da Constituição", referindo-se à suspensão da autonomia da Catalunha (artigo 155.º), na resposta a Carles Puigdemont.
Rajoy avisa que Puigdemont será "único responsável pela aplicação da Constituição"
Reuters
Lusa 16 de outubro de 2017 às 12:15

O chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, advertiu hoje o presidente do governo catalão que ele será "o único responsável pela aplicação da Constituição", referindo-se à suspensão da autonomia da Catalunha (artigo 155.º), na resposta a Carles Puigdemont.

 

Na carta enviada ao presidente da Generalitat, o primeiro-ministro espanhol lamenta "profundamente" que Puigdemont não tenha respondido ao pedido que lhe fez - para que esclarecesse se declarou ou não a independência da Catalunha no passado dia 10, na sequência do referendo independentista realizado a 1 de Outubro na região e considerado ilegal pela justiça espanhola.

 

Rajoy explica ainda que este pedido significava o passo prévio ao procedimento definido no artigo 155.º, que, sublinha, ao contrário do que afirma o presidente da Generalitat, "não implica a suspensão do autogoverno, mas a restauração da legalidade na autonomia".

 

"Não posso aceitar de forma alguma a existência de isso a que chama de 'conflito histórico entre o Estado espanhol e a Catalunha'. Nunca em toda a sua história, os cidadãos da Catalunha usufruíram de mais liberdades, de mais autonomia política e financeira que durante esta etapa democrática", escreve o primeiro-ministro espanhol.

 

Na carta, Rajoy considera que não são credíveis os apelos de Puigdemont ao diálogo em nome do conjunto dos catalães.

 

"Você nega-se a falar com uma parte importante desta sociedade através dos seus legítimos representantes que, sendo, como você diz, menos em número de lugares, representa, como você esconde, um número maior de cidadãos em votos", afirma, dirigindo-se ao presidente da Generalitat.

 

O chefe do Governo central diz ainda a Puigdemont que ainda tem margem para responder de forma clara e sincera ao requerimento que lhe enviou na quarta-feira passada, porque o seu esclarecimento é "absolutamente necessária".

 

"Continua a estar na sua mão abrir um novo período de normalidade e lealdade institucional que todo o mundo lhe está a pedir", conclui Rajoy.

 

O Governo espanhol decidiu hoje em Madrid dar uma "última oportunidade", até as 10:00 (09:00 de Lisboa) de quinta-feira, ao executivo catalão antes de activar o artigo 155.º da Constituição espanhola e "repor a legalidade" na comunidade autónoma da Catalunha.

 

O presidente do governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, enviou hoje uma carta ao chefe do executivo espanhol, Mariano Rajoy, em que volta a propor diálogo, sem precisar se declarou ou não a independência da região, como Madrid exigia.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
anonimo Há 2 dias

A inteligência deste homem, está a fazer com que a maior parte da população da Catalunha deseje a independência. Puidgemont revelou ser um político responsável ao contrário de Rajoy.

pub