Economia Rajoy vai propor aumento de 4% do salário mínimo para 735,90 euros

Rajoy vai propor aumento de 4% do salário mínimo para 735,90 euros

O primeiro-ministro espanhol vai propor um acordo a três anos para elevar o salário mínimo nacional. Os aumentos estarão dependentes da evolução da economia e do mercado de trabalho.
Rajoy vai propor aumento de 4% do salário mínimo para 735,90 euros
Reuters
Negócios 18 de dezembro de 2017 às 11:40

O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, vai propor ao PSOE e aos parceiros sociais um acordo a três anos para aumentar o salário mínimo nacional, que se situa actualmente em 707,60 euros mensais.

Numa entrevista ao diário "20 minutos", citada pelo Expansión, o primeiro-ministro do país vizinho declarou que, para 2018, oferecerá uma subida de 4%, que se traduz num aumento do salário mínimo para 735,90 euros.

Esta subida servirá "para enviar uma mensagem importante" a empresários e sindicatos, afirmou Rajoy, acrescentando que o Governo gostaria que os ordenados "fossem mais elevados". Para 2019 e 2020 estão previstos novos aumentos, que dependerão, porém, da evolução da economia e do mercado de trabalho.

Em entrevista, o líder do executivo espanhol indicou que as subidas terão de ser compatíveis com o crescimento económico e com a criação anual de pelo menos 450 mil empregos. "Devemos começar a recuperar os rendimentos a um ritmo que permita continuar a criar meio milhão de empregos ao ano. Como tudo na vida, manter o equilíbrio é muito importante", sublinhou.

O aumento proposto por Rajoy é mais baixo do que o registado este ano (8%) e fica muito aquém das pretensões dos sindicatos, que têm reivindicado uma subida para 60% do salário médio em Espanha, o que significaria um salário mínimo de mil euros mensais (12 salários) ou 860 euros (14 salários).

Na mesma entrevista, Mariano Rajoy afirmou que o seu objectivo é superar "definitivamente" a crise nesta legislatura. "Já recuperámos a riqueza perdida em cinco anos de crise e estamos em vias de recuperar o emprego destruído", apontou. "O grande objectivo nacional deve ser ter 20 milhões de espanhóis com emprego".