Economia Realização de jantar no Panteão é "absolutamente indigna". Web Summit pede desculpa

Realização de jantar no Panteão é "absolutamente indigna". Web Summit pede desculpa

O primeiro-ministro lamenta a realização de um jantar da Web Summit no Panteão, considerando que não respeita a "memória dos que aí honramos".
Realização de jantar no Panteão é "absolutamente indigna". Web Summit pede desculpa
Negócios com Lusa 11 de novembro de 2017 às 18:08
Depois da polémica ter estalado nas redes sociais, o Governo veio classificar como "absolutamente indigna" a utilização do Panteão Nacional para eventos festivos. Em causa está a realização de um jantar exclusivo de convidados da Web Summit naquele local na sexta-feira.

"A utilização do Panteão Nacional para eventos festivos é absolutamente indigna do respeito devido à memória dos que aí honramos", referiu um comunicado do gabinete do primeiro-ministro, citado pela agência Lusa.


"Apesar de enquadrado legalmente, através de despacho proferido pelo anterior Governo, é ofensivo utilizar deste modo um monumento nacional com as características e particularidades do Panteão Nacional", reforçou a mesma nota do gabinete de António Costa.


Nesse sentido, o executivo vai proceder à alteração do referido despacho "para que situações semelhantes não voltem a repetir-se, violando a história, a memória colectiva e os símbolos nacionais".


Efectivamente, e conforme explica o Expresso, a utilização do Panteão Nacional para jantares, cocktails e outros eventos, está expressamente prevista no Regulamento de Utilização de Espaços nos Serviços Dependentes e nos imóveis afectos à Direcção-Geral do Património Cultural, aprovado em Junho de 2014, pelo então Secretário de Estado da Cultura Jorge Barreto Xavier e que está em vigor desde 1 de Julho desse ano.

Cosgrave pede desculpa


"Pedimos desculpa por qualquer ofensa causada. Este foi um jantar organizado segundo as regras do Panteão Nacional, e conduzido com respeito", referiu o presidente executivo (CEO) da Web Summit, Paddy Cosgrave, numa breve declaração escrita enviada às redações.

 

No mesmo texto, Paddy Cosgrave frisou que a Web Summit "tentou honrar a História de Portugal", bem como pretendeu que os respetivos convidados "valorizassem o passado tão rico" do país.

 

Ainda na breve mensagem, o irlandês Paddy Cosgrave faz referência à sua herança cultural, indicando que faz parte da cultura irlandesa celebrar a morte, recordando que, anteriormente, este evento já foi realizado na Catedral Christ Church, em Dublin, na maior cripta do Reino Unido e Irlanda.

 

"Pedimos desculpa pela nossa tentativa de celebrar o f.ounders ['Founders Summit'] desta forma", concluiu o texto.

 




pub