Economia Regling: Saída da Grécia do euro será a opção "mais cara"

Regling: Saída da Grécia do euro será a opção "mais cara"

Presidente do fundo de resgate do euro citou um estudo do UBS, que calcula perdas de 100 mil milhões de euros num ano com a saída da Grécia da Zona Euro.
Negócios 11 de Maio de 2012 às 16:58
A probabilidade da Grécia sair do euro aumentou de forma considerável devido ao impasse entre os partidos políticos do país em formar um governo que apoie a implementação das medidas inscritas no programa de ajustamento do país.

Neste sentido, Klaus Regling, presidente do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), alertou hoje que esta opção será a mais dispendiosa para a Zona Euro.

O “pior cenário” de a Grécia sair do euro “será a solução mais cara para todas as partes envolvidas”, disse Regling em entrevista ao jornal “Die Presse”, citada pela Bloomberg.

O líder do fundo de resgate do euro citou mesmo um estudo do UBS, que calculou em mil milhões de euros as perdas que resultariam da saída da Grécia do euro, só no primeiro ano. “Possivelmente [o valor] pode ser consideravelmente mais elevado, dado que não conseguimos antecipar as consequências”, afirmou.

Na mesma entrevista, Regling reiterou que o fundo que gere tem “poder de fogo” para responder aos resgates de Espanha e Itália, embora não acredite que estes dois países vão precisar de solicitar ajuda dos parceiros europeus.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Miguel Reis 13.05.2012

Mil milhões de euros não é nada. Só o buraco do BPN são mais de 90 mil milhões...

oscar 13.05.2012

Será que será?

pub