União Europeia Reino Unido ainda fica na UE? Tusk cita “Imagine” de John Lennon

Reino Unido ainda fica na UE? Tusk cita “Imagine” de John Lennon

Em declarações aos jornalistas sobre a possibilidade de o Reino Unido permanecer na UE, o presidente do Conselho Europeu afirmou: "You may say I'm a dreamer, but I'm not the only one".
Reino Unido ainda fica na UE? Tusk cita “Imagine” de John Lennon
Reuters
Rita Faria 22 de junho de 2017 às 12:00

As negociações para o divórcio já começaram, mas Donald Tusk não exclui totalmente a possibilidade de o Reino Unido acabar por permanecer na União Europeia. Isso mesmo demonstrou o presidente do Conselho Europeu, em Bruxelas, citando um trecho da música "Imagine", de John Lennon.

Recorrendo à canção, Tusk disse aos jornalistas que a própria União Europeia foi construída sobre sonhos que pareciam impossíveis de alcançar e que, ele, como outros, "é um sonhador".

"Alguns dos meus amigos britânicos perguntaram-me se o Brexit pode ser revertido e se eu consigo imaginar um resultado em que o Reino Unido permaneça na União Europeia. Eu respondi-lhes que, na verdade, a própria UE foi construída sobre sonhos que pareciam impossíveis de alcançar", contou aos repórteres, citado pela Bloomberg.

"Então, quem sabe… podem dizer que sou um sonhador, mas não sou o único" ("You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one", no original – um verso da canção "Imagine", de John Lennon).

Ainda assim, o responsável garante que a saída do Reino Unido da União Europeia, decidida pelos britânicos no referendo de 23 de Junho de 2016, é um processo "muito difícil" para o qual a União Europeia está "bem preparada".

"Apesar das previsões sombrias, a Europa está a tornar-se novamente um ponto de referência estável e positivo para todo o mundo", acrescentou Tusk.

Defesa e segurança na agenda do Conselho Europeu

As declarações de Donald Tusk foram proferidas à margem do Conselho Europeu que decorre esta quinta e sexta-feira em Bruxelas. Aos jornalistas, o presidente explicou que a segurança vai estar no topo da agenda dos líderes europeus nestes dois dias.

"No ano passado, acordámos que a UE protegeria o nosso povo contra ameaças à segurança, especialmente terrorismo, migração ilegal e globalização descontrolada e devemos continuar a fazê-lo", afirmou. "Portanto, durante o Conselho Europeu, vou propor que avancemos na nossa resposta política nestas três áreas".

Além do tema da segurança, os líderes da UE adoptarão também os critérios para a eleição das cidades que acolherão as agências actualmente sedeadas em Londres.

Na carta-convite dirigida aos chefes de Estado e de Governo da UE, Donald Tusk, adiantou que, depois do jantar de trabalho de hoje à noite, vai convidar os 27 líderes (sem o Reino Unido) a permanecer mais um pouco, para um breve ponto da situação sobre as negociações com Londres para a concretização do 'Brexit' e para adoptar "o procedimento para a recolocação das agências com sede no Reino Unido".

 

Antes, os líderes da UE vão iniciar os trabalhos com uma primeira sessão dedicada a um dos temas em destaque na agenda, a segurança interna, focando-se sobretudo na luta contra o terrorismo, dois dias depois de Bruxelas ter sido palco de uma tentativa de atentado gorada pelas forças militares, que abateram o presumível terrorista.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar