União Europeia Reino Unido perderá 73 mil milhões de euros por ano sem acesso à UE

Reino Unido perderá 73 mil milhões de euros por ano sem acesso à UE

A estimativa consta de um relatório preparado para o Governo e diz apenas respeito à perda de receita fiscal.
Reino Unido perderá 73 mil milhões de euros por ano sem acesso à UE
Reuters
Eva Gaspar 11 de Outubro de 2016 às 15:06

Os cofres públicos do Reino Unido perderão cerca de 66 mil milhões de libras (quase 73 mil milhões de euros) em receita fiscal anual se o Reino Unido perder o acesso ao mercado único dos demais países da União Europeia (UE). O valor consta de um relatório preparado para o Governo britânico, que o The Times revela na sua edição desta terça-feira, 11 de Outubro.

Escreve o jornal que o relatório foi entregue à primeira-ministra Theresa May que recentemente anunciou a intenção de, em Março do próximo ano, invocar formalmente o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, desencadeando a retirada do Reino Unido da UE.


Londres quer que o processo de saída seja conduzido de forma a que a plena integração na UE seja substituída por um novo enquadramento que permita ao Reino Unido ter o máximo acesso ao mercado único – entendido como liberdade de circulação de bens, capitais e serviços – e, ao mesmo tempo, recuperar a capacidade de limitar a entrada de trabalhadores dos demais países da União.


Vários parceiros europeus, designadamente a Alemanha, têm advertido que as quatro liberdades da UE são inseparáveis.

Falando na semana passada perante empresários alemães – desejosos de manter o mais possível o "status quo" – a chanceler Angela Merkel afirmou que as negociações sobre o pós-Brexit, "não vão ser fáceis" e que o acesso recíproco aos mercados é decisivo e será condicionado a idêntico grau de livre circulação de pessoas.

A chanceler alemã tem repetidamente afirmado que a negociação do pós-Brexit tem de ser realizada com o maior cuidado, porque a saída de um primeiro país ao fim de mais de meio século de contínua integração e alargamento pode ser "um ponto de ruptura na história da UE".

Os britânicos decidiram, por 52% dos votos, a saída do Reino Unido no referendo realizado em 23 de Junho. 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Cristina Azevedo Há 3 semanas

Quando a UE der conta já eles recuperaram ...

Vitor Melo Há 3 semanas

Vamos ver se será assim

Foi preciso este exemplo para mostrar ao mundo qu Há 3 semanas

um País não pode estar à mercê de politicos aventureiros e sem escrúpulos. A cobardia dos politicos que iludiram os ingleses, que de seguida logo se demitiram, não tem paralelo na história contemporânea. Que sirva de exemplo aqueles que da politica se servem para fins miseráveis.

port Há 3 semanas

Que bom, isso quer dizer que nós, os portugueses vamos ter lucro ?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub