União Europeia Reino Unido: Precisamos de investimento para ofuscar efeitos do Brexit

Reino Unido: Precisamos de investimento para ofuscar efeitos do Brexit

Philip Hammond, ministro das Finanças do Reino Unido, considera que o país tem de intervir para evitar que a falta de investimento no país “tenha efeito nos empregos” após a saída britânica da União Europeia.
Reino Unido: Precisamos de investimento para ofuscar efeitos do Brexit
Reuters
Ana Laranjeiro 03 de Outubro de 2016 às 10:31

O ministro das Finanças do Reino Unido, Philip Hammond (na foto), afirmou esta segunda-feira, 3 de Outubro, que o Governo britânico tem de deixar cair o compromisso de equilibrar o orçamento para permitir que o país capte investimento "cuidadosamente orientado". Investimento esse que permita ofuscar os efeitos económicos estimados que o Brexit vai ter na economia do Reino Unido.

"De forma anedótica, temos ouvido que as empresas estão a adiar as suas decisões de investimento", disse o ministro das Finanças à BBC Radio, citado pela Bloomberg. Se não fizermos nada "para contrariar este efeito a tempo, vamos ter um efeitos nos empregos", acrescentou.

Hammond assinalou, de acordo com a BBC, que tem presente a diferença entre o que é "investir em coisas que vão fazer com que a economia britânica seja mais eficiente no futuro, que faça com que o sistema de transportes funcione melhor, que os sistemas de comunicação trabalhem melhor" e o que é "simplesmente gastar mais no nosso processo de governação dia-a-dia".

"Temos de manter o foco nos gastos diários, temos de fazer com que o Governo seja mais simplificado e eficiente mas creio que é o caso de olharmos para investimento cuidadosamente orientado e de elevado valor na nossa infraestrutura económica", acrescentou citado pelo site da estação pública inglesa.


Ainda esta segunda-feira foi revelado que a actividade industrial britânica registou em Setembro o melhor mês em mais de dois anos. O índice PMI que mede a actividade da indústria, da IHS Markit, subiu no mês passado para 55,4 pontos. Em Agosto estava nos 53,4 pontos.


O governante alertou também que os dados económicos recentes, que até aqui mostram alguma robustez económica, podem não reflectir a incerteza que as empresas podem sentir quando o país pedir formalmente para deixar a União Europeia.

Este domingo, a primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou que o Reino Unido vai accionar o artigo 50 do Tratado de Lisboa até Março do próximo ano.

A libra está a registar uma desvalorização face ao euro e ao dólar devido às palavras da chefe de Governo britânica. Por esta altura, a libra recua 0,68% para 1,2886 dólares. E face ao euro, a libra desce 0,62% para 0,8714 euros.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado ChinesShangai 03.10.2016

Anónimo foste papado por um Funcionário Público, só pode, e continuas a ser, és um triste, só escreves porcaria, zurra zurra zurre e não faças nada pela tua porcaria de vida.

comentários mais recentes
Anónimo 03.10.2016


PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO À FP:

- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

Resposta de ChinesShangaia Anónimo 03.10.2016

Anónimo foste papado por um Funcionário Público, só pode, e continuas a ser, és um triste, só escreves porcaria, zurra zurra zurre e não faças nada pela tua porcaria de vida.

pub
pub
pub
pub