Política Relatório de contas regista agravamento da situação financeira do PCP

Relatório de contas regista agravamento da situação financeira do PCP

O PCP registou um agravamento da situação financeira nos últimos quatro anos, com um défice anual negativo de 1.082 mil euros, que só foi ultrapassado com recurso a receitas extraordinárias e às subvenções públicas.
Relatório de contas regista agravamento da situação financeira do PCP
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 02 de dezembro de 2016 às 11:50

De acordo com o relatório de contas de gestão, entregue aos delegados no XX Congresso e divulgado à comunicação social, entre o ano do anterior congresso, 2012, e 2015, o resultado financeiro apresenta um valor médio negativo de cerca de 1.082 mil euros.

 

Este valor representa "um agravamento que não permitiu ultrapassar a grave situação financeira identificada no XIX Congresso", em 2012, lê-se, no relatório.

 

Para cobrir a situação deficitária, o PCP recorreu a receitas extraordinárias e institucionais, através da gestão de património e subvenções estatais, atingindo "um resultado acumulado positivo de 1 milhão e 261 mil euros nos quatro anos em análise".

 

Com um crescimento das receitas de 5,6% e uma diminuição das despesas de 7,09%, o PCP mantém uma elevada despesa com pessoal, na ordem dos 29,49% do total.

 

As elevadas despesas com pessoal são justificadas pela existência de um "importante quadro de funcionários do partido", considerados "indispensáveis ao desenvolvimento da organização e da actividade partidária, bem como à afirmação dos princípios e objectivos do partido".

 

Ao nível da receita, o PCP aumentou o valor das quotas, que repressentam um peso médio anual de 9,4%, e as contribuições de filiados, que atingem um peso anual de 16,3%.

 

As contribuições dos eleitos "mantêm-se estáveis", em 10,2% mas as receitas obtidas em iniciativas de angariação de fundos baixaram 1,3%, representando ainda assim 22,7% do total da receita anual.

 

O relatório destaca ainda que a situação nas organizações regionais "mantém-se no geral deficitária" e dependente da "caixa central", impedindo a redução dos subsídios a mais organizações regionais.

 

O XX Congresso do PCP decorre em Almada até domingo.


A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 02.12.2016

Mas que granda treta! O PCP ALGUM DIA IRIA ACUMULAR 1 MILHÃO DE EUROS EM DÌVIDA? QUEM ERA O BANCO QUE IA DAR 1 MILHÃO DE DINHEIRO AO PCP PARA FICAREM EM DÍVIDA? A ISTO SE CHAMA NOTÍCIAS DE JORNALEIROS FRUSTRADOS E INCONSCIENTES!!! SÓ NOTICIAM M*RDA!! KKKKKKKKKK

Yurgen 02.12.2016

E não pagam IMI!!!

Yurgen 02.12.2016

E não pagam IMI!!!

eeeee 02.12.2016

F. P. vão trabalhar

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub