Justiça Ricardo Salgado constituído arguido no âmbito da Operação Marquês

Ricardo Salgado constituído arguido no âmbito da Operação Marquês

O antigo presidente do Banco Espírito Santo, Ricardo Salgado, foi esta quarta-feira ouvido pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal. O banqueiro é suspeito de corrupção e tráfico de influências, entre outros.
Ricardo Salgado constituído arguido no âmbito da Operação Marquês
O antigo presidente do Banco Espírito Santo, Ricardo Salgado, foi ouvido pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) esta quarta-feira, 17 de Janeiro. A notícia foi avançada pela SIC Notícias. A audição decorreu no âmbito da Operação Marquês, em que é investigado, entre outros, José Sócrates.

De acordo com aquela estação de televisão, Salgado é arguido no processo que investigará a transferência verbas com origem no universo Espírito Santo para contas da Suíça e para Carlos Santos Silva e deste para o antigo primeiro-ministro José Sócrates

A Procuradoria-Geral da República confirmou a informação: "Ricardo Espírito Santo Silva Salgado foi, esta manhã, constituído arguido e encontra-se a ser interrogado pelo Ministério Público, no âmbito da designada 'Operação Marquês', que corre termos no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP)". 

"O arguido é suspeito da prática de factos susceptíveis de integrarem os crimes de corrupção, abuso de confiança, tráfico de influência, branqueamento e fraude fiscal qualificada", adianta ainda a mesma nota. 


A SIC Notícias acrescentou que o Ministério Público investiga se este valor poderá consistir em "luvas" em torno de 20 milhões de euros relacionadas com negócios para beneficiar representantes do Grupo Espírito Santo, nomeadamente nos negócios envolvendo Oi, PT e Vivo no Brasil. Sócrates poderá ter beneficiado de 17 milhões, diz a SIC Notícias. 

O assessor de imprensa de Ricardo Salgado não quis fazer comentários ao Negócios a esta convocatória. O banqueiro que saiu do BES em Julho de 2014 foi ouvido pelo procurador Rosário Teixeira e pelo inspector tributário Paulo Silva. 

O antigo banqueiro foi ouvido no âmbito da Operação Marquês embora seja arguido noutros processos. Salgado é arguido no Monte Branco, que investiga uma rede de fraude fiscal e branqueamento de capitais, e no Universo Espírito Santo, que envolve a gestão do BES e do grupo com o mesmo nome.  Ricardo Salgado foi constituído arguido nestes processos depois de deixar a liderança do BES. 


(Notícia actualizada com mais informações às 13:50)



A sua opinião38
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 18.01.2017


A recente emissão a 10 anos foi a uma taxa de 4,2% , BEM SUPERIOR AO DA TROIKA (portanto matematicamente, fica mais barato pedir à troika do que ir ao mercado).

melhora-mos uma emissão de 6/12 meses em menos de 0.3%, e num empréstimo de 1.7MMN€
PAGAMOS mais 1% de juros para 4,2% relativamente ao ano passado para um empréstimo de 10 anos, de 3MM€

4,2% é o valor mais alto do ultimo ano, e define as perspectivas a longo prazo de economistas que não querem saber se é PS ou PSD querem é saber o risco que portugal vai/nao ai pagar o que deve.

E assim se vê que o senhor devia aprender a fazer contas entre o curto prazo e o longo prazo... é que os sucessivos maus governos nos vendem gato por lebre, apesar de haver muito boa gente a dizer a verdade há iluminados como você que só ouve o que lhe convem e não a realidade.

comentários mais recentes
NÃO BRINQUE COM A NOSSA INTELIGÊNCIA, SRA. PGR 18.01.2017

Só agora foi constituido arguido, cara PROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA (paga por todos nós, contribuintes)?
Depois de a senhora ter permitido a plena liberdade desse escroque, a fim de lhe possibilitar a destruição das principais provas incriminatórias?
Por favor, não brinque com a n/inteligência

PORQUÊ A PGR O SOLTOU ? SÓ ELA O SABERÁ … 18.01.2017

As investigações quanto ao criminoso RICARDO SALGADO deparam com uma intricada rede de meandros, no âmbito de transferências para off-shores, dificuldades criadas para esconder os enormes fundos roubados por este escroque, o qual pôde destruir as principais provas, na liberdade que lhe foi dada.

Anónimo 18.01.2017

Já pode saír do país até mudou de ´Òculos,Porque será ? Pra enganar outros ? Talvez , estes abutres tem lata para tudo. Era bom alguém com a pontaria bem afinada, lhe enfiasse um balázio no meio caixa cornea e mandasse pró c@r@lh. Ele e outros do mesmo calibre, infelizmente o EI.só vê inocentes

Manobras que a justiça e as leis, contemplam 18.01.2017

Ricardo e Sócrates nunca mais voltam a prisão. Vai-lhes acontecer como acontece com Armando Vara e outros socialistas que, foram condenado há anos em Aveiro, a pena de prisão efectiva e o recurso, nunca mais é deferido, continuam em liberdade. Porquê um recurso leva tanto tempo? tenho uma ideia.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub