Política Rio aceita debater com Santana mas recusa discussões em todas as distritais

Rio aceita debater com Santana mas recusa discussões em todas as distritais

O candidato à liderança do PSD respondeu esta terça-feira a Santana Lopes por carta. Os dois candidatos à liderança do PSD aceitam debater o modelo como vão debater.
Rio aceita debater com Santana mas recusa discussões em todas as distritais
Hugo Monteiro
Marta Moitinho Oliveira 28 de novembro de 2017 às 12:15
O candidato à liderança do PSD Rui Rio está disponível para fazer debates com o outro candidato, Pedro Santana Lopes. A abertura para o fazer foi revelada em carta enviada pelo ex-autarca do Porto ao antigo primeiro-ministro, enviada à comunicação social.

"Recebi a tua carta e concordo com a forma sensata como nela abordas a questão dos debates, privilegiando-os junto dos nossos militantes e sugerindo um entendimento prévio entre as duas candidaturas."

É assim que começa a carta assinada por Rui Rio com a data de hoje. 

No entanto, Rui Rio traça algumas linhas vermelhas para os debates. "Sempre entendi que a multiplicação de debates seria prejudicial para o esclarecimento dos militantes e, essencialmente, para a dignificação da eleição a que concorremos, por privilegiar mais o espectáculo do que o debate sereno das ideias." Ou seja, Rio aceita debater mas sinaliza que não quer seguir o modelo sugerido inicialmente por Santana Lopes que passava por agendar debates em todas as distritais. Este entendimento foi confirmado ao Negócios por fonte oficial da candidatura de Rio, que explicou que o modelo a seguir está em aberto.   
 
"Assim, considero importante a disponibilidade agora demonstrada para falarmos, sem recurso a "sound bites" televisivos ou outros condicionamentos externos, no sentido de procurarmos uma solução sensata e moderada que defenda os interesses do PSD e dos seus militantes", continua Rio.

Esta formulação não exclui debates televisivos. "Está tudo em aberto", insiste a candidatura de Rio.
 
A candidatura liderada por Rui Rio "indica a sua assessora de comunicação, Florbela Guedes, para
interagir com a tua estrutura de campanha e fazer a devida articulação", avança.

Pedro Santana Lopes tinha enviado uma carta a Rui Rio a insistir na necessidade de marcar debates, onde argumentava que "o que de nós for eleito presidente do PPD/PSD terá de debater com António Costa daqui a cerca de um ano. Que moral se terá, nessa altura, para exigir debates, se agora não os fizermos?".



Saber mais e Alertas
pub