Economia Risco de incêndio mantém-se elevado. Governo prolonga meios de combate até 15 de Novembro

Risco de incêndio mantém-se elevado. Governo prolonga meios de combate até 15 de Novembro

O Governo anunciou o prolongamento até 15 de Novembro do reforço de meios para combate a incêndios, tendo em conta a manutenção do risco elevado de incêndio e a previsão de condições meteorológicas adversas.
Risco de incêndio mantém-se elevado. Governo prolonga meios de combate até 15 de Novembro
Bruno simão
Marta Moitinho Oliveira 31 de outubro de 2017 às 11:47

"O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, determinou o prolongamento do dispositivo de combate a incêndios até ao dia 15 de Novembro, incluindo meios aéreos, meios humanos e postos de vigia", lê-se no comunicado enviado à imprensa.

Na mesma nota, o governante explica que a decisão foi tomada em resultado da previsão de condições meteorológicas adversas, assim como da manutenção de risco de incêndio elevado. 

"Esta decisão resulta da previsão de condições meteorológicas adversas e da manutenção do risco elevado de incêndios florestais por parte do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e do European Forest Fire Information System (EFFIS)." 

  
Que meios ficam disponíveis? 

"O prolongamento abrange os 17 meios aéreos que reforçaram o dispositivo na última semana (13 helicópteros ligeiros e 4 aviões médios anfíbios) e os 12 contratados para o período de 16 a 31 de Outubro (8 helicópteros médios, 2 aviões pesados anfíbios e 2 aviões médios anfíbios)", adianta o Ministério da Administração Interna. 

Segundo o comunicado enviado aos jornalistas, o MAI decidiu prolongar o funcionamento de 35 meios aéreos de combate a incêndios. "O
 período de funcionamento de 72 postos de vigia da Rede Primária de Postos de Vigia e a GNR manterá as Equipas de Manutenção e Exploração de Informação Florestal (EMEIF) junto de cada Comando Distrital de Operações de Socorro", acrescenta a tutela.

A tutela quantifica ainda os meios humanos disponíveis. "O quadro operacional para a próxima quinzena envolve um dispositivo global de 6.957 operacionais, entre os quais 3.100 bombeiros. Inclui ainda patrulhamento ostensivo no terreno por parte das Forças Armadas, em articulação com a GNR e a PSP."




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub