Conjuntura Ritmo da economia acelera para máximos de 2010

Ritmo da economia acelera para máximos de 2010

INE revela hoje estimativa rápida relativa ao primeiro trimestre do ano. Marques Mendes diz que crescimento deverá ter ficado em pelo menos 2,4%.
Ritmo da economia acelera para máximos de 2010
Tiago Freire 15 de maio de 2017 às 07:55
O INE revela hoje a sua estimativa rápida sobre o crescimento do PIB no primeiro trimestre, que deverá confirmar uma aceleração para um máximo de sete anos.

Marques Mendes revelou ontem, no seu programa semanal na SIC, que se espera "um crescimento superior a 2,4% neste trimestre, em comparação com o mesmo trimestre de 2016, com aceleração das exportações e sobretudo aceleração do investimento, e um menor crescimento do consumo". Este valor significaria o ritmo mais elevado desde o segundo trimestre de 2010, no qual a economia portuguesa cresceu 2,5%.

O comentador salienta ainda um outro facto: a evolução terá sido conseguida com "uma estratégia de crescimento correcta (alavancada pelo investimento e pelas exportações), mas que curiosamente é a oposta àquela que o Governo defendia no passado". De acordo com a mesma fonte, haverá um menor contributo do consumo para o crescimento (ver página 29).

De acordo com os economistas e as instituições contactadas pelo Negócios, espera-se que seja divulgado um número superior a 2%, mas com uma margem relativamente grande no que toca às estimativas de cada um. O Fórum para a Competitividade aposta num crescimento de 2,1% no primeiro trimestre deste ano, enquanto o Católica-Lisbon Forecasting Lab (NECEP) antecipa uma subida do PIB de 2,7% entre Janeiro e Março, em termos homólogos. Já os economistas do ISEG apontam para um crescimento de 2,4%.

Desde o segundo trimestre de 2010 que a economia portuguesa não consegue um crescimento trimestral homólogo superior a 2%.



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 15.05.2017

O Salazar proibia a emigração. Este "obriga" à emigração e obtém desenvorgonhadamente as taxas aeroportuárias(roubo).

Anónimo 15.05.2017

Crescimento só se for nas " low cust" carregados de jovens empurrados pelo Costa e a pagar taxas aeroportuárias à procura de emprego.

Luis 15.05.2017

Sim, os pessimistas devem ouvir o Medina Carreira e o diabo. Viverem resignados,

Tereza economista 15.05.2017

Pagamos ao zê da noia milhões para dizer umas baboseiras e fazer umas previsões. È melhor e mais barto ir á bruxa.

ver mais comentários
pub